UOL Notícias Notícias
 

05/02/2010 - 13h37

Duplo atentado contra xiitas deixa pelo menos 22 mortos no Paquistão

Pelo menos 22 pessoas foram mortas e dezenas ficaram feridas nesta sexta-feira durante um duplo atentado suicida na cidade paquistanesa de Karachi: o primeiro atingiu um ônibus que transportava xiitas; o outro, um hospital que recebia os feridos do primeiro ataque.

O primeiro atentado, que deixou pelo menos 12 mortos, teve como alvo um ônibus que transportava xiitas, e foi segundo ataque em um mês e meio contra essa minoria muçulmana na grande cidade do sul do Paquistão.

Os dois atentados foram praticados por terroristas suicidas usando motos, indicou uma autoridade do esquadrão antibombas da Polícia.

Os explosivos que eram carregados pela moto do primeiro atentado foram acionados na passagem de um ônibus que transportava pessoas que participariam da procissão de encerramento do Muharram, mês mais sagrado do calendário muçulmano para os xiitas, explicou à AFP Shahid Hasan, um oficial da Polícia no local.

"Recebemos os corpos de doze pessoas e mais de 50 ficaram feridas, há mulheres e crianças entre os mortos", declarou à AFP o dr. Seemi Jamal, diretor do hospital Jinnah de Karachi, capital econômica do Paquistão, com cerca de 16 milhões de habitantes.

Os ataques contra a minoria xiita são relativamente frequentes, quase sempre praticados por grupos de extremistas sunitas, comunidade muçulmana majoritária (quase 80%), e pelos talibãs aliados da Al-Qaeda, responsáveis por uma campanha mais vasta de atentados que deixou cerca de 3.000 mortos em dois anos e meio.

Pouco depois da explosão da primeira bomba, um segundo artefato explodiu no hospital Jinnah, indicou Saghir Ahmad, ministro provincial da Saúde.

Pelo menos 10 pessoas foram mortas e mais de 20 ficaram feridas na explosão ocorrida na entrada da sala de emergência, anunciou o porta-voz do governo provincial, Jameel Sooro.

"Ouvi uma forte explosão próximo à sala de emergência onde os feridos (do primeiro atentado) estavam sendo socorridos", declarou à AFP o dr. Mushtaq Ahmad.

No dia 28 de dezembro, um atentado suicida, reivindicado pelos talibãs paquistaneses matou 43 pessoas em Karachi durante uma procissão xiita.

Os bastiões do Movimento dos Talibãs do Paquistão, as zonas tribais do noroeste situadas na fronteira com o Afeganistão, se transformaram no novo santuário dos líderes e combatentes da Al-Qaeda e em uma base de retaguarda estratégica dos talibãs afegãos.

A CIA e o Exército americano mobilizados no Afeganistão intensificaram consideravelmente, nos últimos meses, seus disparos de mísseis efetuados por drones contra os chefes do movimento de Osama bin Laden ou dos talibãs.

Desde o final dos anos 1980, mais de 4.000 xiitas foram mortos em episódios de violência entre xiitas e sunitas em todos o país.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h09

    -0,30
    3,159
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h12

    1,33
    69.545,97
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host