UOL Notícias Notícias
 

10/02/2010 - 13h13

Ethiopian Airlines não descarta sabotagem no acidente de 25 de janeiro

A companhia Ethiopian Airlines anunciou nesta quarta-feira que não descarta "nenhuma possibilidade, inclusive a de um ato de sabotagem", no acidente do dia 25 de janeiro na costa do Líbano.

"A investigação ainda está no começo, e ainda é cedo para especular sobre as causas do acidente. A companhia não descarta nenhuma possibilidade, inclusive a de um atod e sabotagem, até que o resultado do inquérito seja conhecido", disse a Ethiopian Airlines em comunicado.

Terça-feira, o ministro libanês da Saúde, Mohammad Jawad Khalife, afirmou que o Boeing 737-800 da Ethiopian que transportava 90 pessoas entre Beirute e Addis Abeba "explodiu em pleno voo" logo depois de decolar do aeroporto de Beirute.

"O avião explodiu em pleno voo e a fuselagem, assim como as pessoas a bordo do mesmo, foram jogadas no mar, em diferentes lugares", indicou a imprensa Mohammad Khalife, explicando as razões pelas quais alguns dos corpos resgatados se encontravam desmembrados.

É a primeira vez que um funcionário do governo libanês afirma em públilco que o Boeing 737-800 explodiu minutos depois de decolar durante uma tempestade.

Um funcionário do ministério da Defesa havia indicado no dia do acidente que o Boeing se desintegrou em quatro partes antes de cair. Várias testemunhas afirmaram ter visto uma bola de fogo cair no mar.

Depois do acidente do avião etíope, o governo libanês descartou imediatamente a hipótese de um ato de sabotagem.

A cabine do piloto, a parte traseira do aparelho e outros pedaços foram encontrados, assim como as caixas pretas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,79
    3,152
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h22

    1,18
    65.148,35
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host