UOL Notícias Notícias
 

11/02/2010 - 15h41

Deputados europeus acusam Venezuela de amordaçar a imprensa

Os deputados do Parlamento europeu convocaram nesta quinta-feira a Venezuela a revisar sua decisão de retirar do ar vários canais de televisão a cabo críticos ao governo, e denunciaram a tentativa de amordaçar a liberdade de expressão e de informação no país.

Em uma resolução, o Parlamento lamentou "a decisão governamental de não permitir a transmissão dos mencionados canais na Venezuela e pede sua restituição".

Também solicitou "às autoridades da Venezuela que revisem a decisão", assim como a que obriga os canais a "transmitir, na íntegra, os discursos do chefe de Estado".

"Estas medidas têm o objetivo de controlar e amordaçar os meios de comunicação, e também cercear os direitos democráticos de liberdade de expressão e informação", acrescentou a mensagem do Parlamento europeu.

Os deputados manifestaram "grande preocupação com a atitude autoritária do governo do presidente Hugo Chávez, cujas medidas pretendem debilitar a oposição democrática e restringir os direitos e liberdades dos cidadãos".

O Parlamento também "demonstra consternação com a morte de dois jovens estudantes, Yonisio Carrillo e Marcos Rosales, ocorridas durante os protestos em Mérida" e pede "às autoridades que prossigam com a investigação das causas de homicídio dos jovens" e que os culpados "sejam colocados à disposição da justiça".

O canal de televisão RCTV, muito popular no país, e várias outras pequenas redes de televisão, foram retirados do ar no fim de janeiro por operadores a cabo venezuelanos devido à nova regulamentação, que obriga as televisões "nacionais" (que passam pelo menos 30% de programas de produção venezuelana) a transmitir os discursos de Chávez.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h08

    -0,01
    63.248,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host