UOL Notícias Notícias
 

11/02/2010 - 12h08

Talibãs ameaçam responder com ações de guerrilha a ofensiva da Otan

Os talibãs ameaçaram nesta quinta-feira responder com táticas guerrilheiras a ofensiva anunciada há dez dias pelas forças internacionais e afegãs em seus redutos do sul do Afeganistão e ironizaram os "anúncios mediáticos" da coalizão.

"Recorreremos a táticas que já usamos nas operações de Nawa e Janishin", declarou o porta-voz dos rebeldes islamitas, Yusuf Ahmadi, em um comunicado dos talibãs em seu site.

O porta-voz aludia às ofensivas lançadas em 2009 na mesma província de Helmand, batizadas de "Garra de pantera" pelas forças britânicas e de "Punhal" pelas tropas americanas que as dirigiram.

"Utilizaremos essencialmente técnicas de 'hit-and-run' (atacar e fugir) e as bombas artesanais nas estradas", afirmou ainda.

Este tipo de explosivo é a principal causa de baixa entre as forças internacionais.

Nas ofensivas anteriores, os talibãs jamais opuseram resistência frontal, e recuaram para zonas montanhosas para prosseguir com suas ações.

Há 10 dias o governo de Cabul, a força da Otan, assim como os Estados Unidos e o Reino Unido anunciam uma iminente e ampla ofensiva contra Marjah, uma pequena localidade nas mãos nos talibãs em seu seu principal reduto, a província de Helmand, no sul do país.

"O inimigo dá grande importância a esta operação, tenta vendê-la à imprensa como uma grande ofensiva, apesar do fato de Marjah ser uma zona muito pequena", ironizou por fim Yusuf Ahmadi.

Na véspera, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) informou que constatou uma intensificação dos combates na província de Helmand.

"A intensificação recente das operações militares na província de Helmand provocou um forte aumento no número de feridos que requerem atenção médica urgente", afirmou o CICV em um comunicado.

O general britânico Nick Carter, que comanda 45.000 homens das forças da Otan em Helmand, anunciou em 26 de janeiro que uma grande ofensiva seria lançada em breve na região para obrigar os talibãs a abandoná-la.

A província de Helmand, localizada no sul do Afeganistão, atualmente escapa do controle das forças afegãs e internacionais.

Sob fogo talibã, disparos com armas automáticas e de foguetes, os marines americanos continuavam avançando na direção da cidade de Marjah, também no sul do Afeganistão e outro objetivo da ofensiva anunciada.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host