UOL Notícias Notícias
 

12/02/2010 - 08h52

China exige que EUA cancelem encontro entre Obama e Dalai Lama

A China exigiu nesta quinta-feira que os Estados Unidos cancelem imediatamente a reunião, marcada para 18 de fevereiro, entre o presidente americano, Barack Obama, e o Dalai Lama, líder tibetano no exílio, anunciou a agência oficial Xinhua.

A agência chinesa citou o porta-voz do ministério chinês das Relações Exteriores, Ma Zhaoxu.

O porta-voz do presidente americano, Robert Gibbs, indicou nesta quinta-feira que "o presidente se reunirá com sua santidade o Dalai Lama no dia 18 de fevereiro. O encontro acontecerá na Sala das Cartas, aqui na Casa Branca".

"O Dalai Lama é um líder religioso respeitado em todo o mundo, é um porta-voz na luta pelos direitos dos tibetanos", acrescentou, ressaltando que o presidente Obama esperava um encontro "construtivo".

A presidência americana havia confirmado na semana passada que o Dalai Lama seria recebido na Casa Branca em fevereiro, mas sem informar uma data nem confirmar o encontro com Obama.

A China, que acusa o Dalai Lama de querer a independência do Tibete, já havia protestado então, e o porta-voz do ministério das Relações Exteriores indicou que "a China se opõe firmemente à visita do Dalai Lama aos Estados Unidos" e que reprova que "dirigentes americanos recebam o Dalai Lama".

O Dalai Lama, líder espiritual tibetano no exílio, é aguardado nos Estados Unidos em fevereiro. Ele deve realizar uma leitura pública em Los Angeles no dia 21 de fevereiro.

A reunião entre Obama e o Dalai Lama pode comprometer ainda mais as relações entre Pequim e Washington, que já atravessam um momento delicado.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,27
    3,252
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    1,26
    74.360,52
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host