UOL Notícias Notícias
 

17/02/2010 - 15h16

Irã se nega a cooperar com a ONU em Direitos Humanos

O Irã se negou nesta quarta-feira a cooperar com os relatores da ONU que querem investigar denúncias de tortura e de outras violações dos Direitos Humanos na República Islâmica, assim como foi solicitado pelos países ocidentais após a repressão dos protestos opositores.

O Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas aprovou nesta quarta-feira em Genebra o relatório do debate realizado na segunda-feira sobre a situação no Irã e durante o qual foram formuladas cem recomendações.

As autoridades iranianas disseram que examinarão a possibilidade de "dar uma resposta positiva aos pedidos de visitas apresentados pelos relatores especiais da ONU", mas deixaram claro que as recomendações de "cooperar com os relatores especiais, como, por exemplo, nos casos de tortura (...) não contam com seu apoio".

O Irã rejeitou também o pedido britânico de autorizar as missões "de todos os relatores especiais", que não podem entrar nesse país desde que o presidente Mahmud Ahmadinejad chegou ao poder em 2005, e do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, para investigar os episódios de violência que foram registrados no ano passado, após a reeleição do mandatário, denunciada como fraudulenta pela oposição.

Os países ocidentais denunciaram na segunda-feira no Conselho de Direitos Humanos da ONU a "repressão sangrenta" aos opositores do governo iraniano.

Em sua resposta, as autoridades iranianas asseguraram que garantiam "os direitos cívicos e políticos para todos, principalmente dos dissidentes e das minorias".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host