UOL Notícias Notícias
 

18/02/2010 - 16h28

Dubai quer a detenção do chefe do Mossad em caso de envolvimento em morte (TV)

O chefe de polícia de Dubai, general Dahi Khalfana, declarou nesta quinta-feira querer a detenção do chefe do Mossad, se esse serviço secreto israelense estiver envolvido no assassinato de um líder do movimento palestino Hamas nos Emirados.

Em entrevista à televisão de Dubai, que será transmitida agora à noite, o general afirma que "se for comprovado que o Mossad está por trás deste crime, o que é muito provável, a Interpol deverá se encarregar de emitir alerta vermelho em relação ao chefe do serviço secreto israelense. Isto equivale a um 'procura-se' por acusação de assassinato e a um pedido de extradição por parte de um Estado, declarou o general Dahi Khalfan na entrevista da qual a AFP obteve alguns extratos.

Mahmoud al-Mabhouh, um dos fundadores do braço militar do movimento islamita Hamas, foi encontrado assassinado em seu quarto de hotel em Dubai, no dia 20 de janeiro.

A Interpol havia anunciado nesta quinta-feira ter emitido avisos em relação a onze indivíduos procurados internacionalmente, acusados pelas autoridades de Dubai de terem coordenado e cometido o assassinato do palestino Mahmoud , comandante do Hamas, em Dubai no dia 19 de janeiro de 2010".

A organização de cooperação policial, com sede em Lyon (França) informou, em troca, não ter emitido, por enquanto, qualquer aviso em relação ao chefe do Mossad, Méir Dagan.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host