UOL Notícias Notícias
 

19/02/2010 - 16h49

Tiger Woods se diz arrependido, pretendendo voltar ao golfe 'algum dia'

O jogador de golfe Tiger Woods declarou-se nesta sexta-feira "profundamente desolado" e afirmou que voltará ao esporte "algum dia", em sua primeira aparição pública na Flórida, após um escândalo por relações extraconjugais, que prejudicou sua carreira.

"Tenho planejado voltar ao golfe algum dia. Não sei quando será. Não descarto que será neste ano", disse Tiger Woods em sua primeira declaração pública após a revelação em novembro de uma dezena de aventuras fora do casamento com a ex-modelo sueca Elin Nordegren.

Woods quis se mostrar o mais honesto possível na declaração, que durou cerca de 15 minutos e foi transmitida ao vivo pela maioria das redes de televisão dos Estados Unidos, onde o jogador de 34 anos confirmou que se submeteu a uma terapia de 45 dias, sem dar maiores detalhes, ainda que a imprensa local tenha afirmado que era para tentar curar uma compulsão por sexo.

O jogador desculpou-se diversas vezes com a família, amigos e fãs.

"Quero dizer a cada um de vocês simples e diretamente: estou profundamente arrependido por meu comportamento irresponsável e egoísta", disse Woods a um pequeno grupo de assistentes, entre eles amigos e jornalistas presentes na TPC Sawgrass, quartel-general da liga profissional de golfe dos EUA, em Ponte Vedra Beach (Flórida).

"As pessoas provavelmente não percebem, mas fui criado no budismo e pratiquei ativamente minha fé desde a infância até os últimos anos", disse Woods, que contou com a presença da mãe tailandesa, Kul Tilda, na primeira fila.

O esportista explicou que "o budismo ensina que o anseio de coisas fora de nós mesmos cria uma busca infeliz e sem sentido para a segurança". "Obviamente perdi o caminho que me foi ensinado", acrescentou.

Woods disse que aprendeu na terapia a se fixar na vida espiritual e a se manter em equilíbrio na vida profissional.

"Tenho que recuperar o equilíbrio e estar centrado para que possa guardar as coisas que são mais importantes para mim, meu casamento e meus filhos. Isto também significa depender dos outros para ajuda", acrescentou.

Tiger Woods também afirmou que sua esposa Elin nunca "o pegou ou atacou" quando as relações extraconjugais foram reveladas.

"Há uma questão que quero discutir e é que algumas pessoas especularam que Elin de alguma forma me feriu ou me atacou na noite de Ação de Graças", no dia 27 de novembro em meio à uma briga doméstica.

"Me machuca que as pessoas possam inventar uma história como esta", disse Woods, aumentando o tom da voz. "Elin nunca me atacou nessa noite ou em nenhuma noite".

"Nunca houve um episódio de violência doméstica em nosso casamento, nunca. Elin demonstrou uma enorme graça e elegância nesta situação difícil. Ela merece elogios, e não acusações", afirmou.

"O problema aqui era meu comportamento irresponsável. Eu fui infiel. Tinha histórias. Errei. O que não é aceitável. E eu sou o único culpado", disse.

Desde o dia 27 de novembro uma dúzia de mulheres afirmaram ter mantido relações extraconjugais com Woods, o que custou ao jogador a perda de vários patrocinatores, entre eles a gigante das telecomunicações AT&T e a Accenture, uma companhia de tecnologia sediada em Dublin.

As marcas de relógios suíça Tag Heuer e a Gillete deixaram de usar a imagem do jogador, mas a Nike, que paga a Woods cerca de 40 milhões de dólares por ano, deu apoio incondicional ao astro da PGA.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host