UOL Notícias Notícias
 

20/02/2010 - 09h28

Justiça americana absolve advogados que redigiram justificativa de tortura

Dois eminentes advogados do governo de George W. Bush, autores de memorandos que justificam a tortura, demonstraram falta de discernimento, mas não devem ser impedidos de exercer a advocacia, afirma uma auditoria interna do Departamento de Justiça.

Uma investigação inicial do comitê de ética do Departamento havia concluído que os advogados Jay Bybee e John Yoo cometeram faltas profissionais ao redigir os memorandos que ofereciam base jurídica ao uso da tortura, conclusão que poderia ter resultado no impedimento de exercer a profissão.

Mas o procurador-geral adjunto, David Margolis recuou nas recomendações e concluiu que, apesar dos textos conterem erros importantes, os advogados não agiram de modo imprudente ou sabendo que forneciam conselhos incorretos. Portanto, não podem ser acusados de falta de ética profissional.

"Yoo e Bybee atuaram com pouco discernimento ao exagerar a certeza de suas conclusões e ao minimizar os argumentos contrários", escreveu Margolis.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h29

    0,94
    3,288
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h35

    -1,85
    61.478,43
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host