UOL Notícias Notícias
 

24/02/2010 - 14h46

Detida por conduzir em estado de embriaguês, chefe da Igreja protestante alemã renuncia

A Chefe da Igreja protestante alemã, a bispa Margot K¤ssmann, considerada pela imprensa um misto de Madre Teresa e da atriz Demi Moore ou "estrela pop do protestantismo", anunciou nesta quarta-feira sua renúncia ao cargo, depois de detida por conduzir em estado de embriaguês.

"Sábado passado cometi um grave erro", disse à imprensa Margot K¤ssmann de 51 anos. "Meu coração me diz claramente que não posso permanencer em meu posto. Renuncio de imediato a todas as minhas responsabilidades eclesiásticas", declarou.

"Lamento ter decepcionado tanta gente", acrescentou K¤ssmann, eleita em outubro de 2009 à frente da Igreja Evangélica luterana por um período de seis anos.

Detida sábado à noite em Hanover por não parar no sinal vermelho, K¤ssmann possuía uma taxa de álcool no sangue de 1,54 grama/litro, cinco vezes superior ao limite tolerado. Segundo o jornal popular Bild, um homem viajava com ela quando o veículo foi parado, mas a identidade dele não foi comunicada.

Em 2007, Margot K¤ssmann divorciou-se depois de 26 anos de casamento com um pastor, um membro importante da Igreja Luterana com quem teve quatro filhas - um assunto que foi logo considerado um escândalo.

Na manhã desta quarta-feira, o Conselho da Igreja Protestante da Alemanha (EKD) concedeu apoio à presidente deixando a seu critério "a decisão sobre o caminho que deverá tomar".

O incidente, que se produziu pouco depois de iniciado o período da Quaresma, virou destaque na imprensa alemã.

O jornal Bild reproduziu nesta quarta-feira declarações de K¤ssmann de há um ano, segundo as quais estava disposta a "renunciar ao álcool" durante este período de penitência cristã.

K¤ssmann, agora, corre o risco de perder a carteira durante um ano e de pagar multa equivalente a um mês de salário.

Justamente por reconhecer suas "fraquezas" e "erros" a bispa de Hanover ganhou a simpatia dos fiéis, que veem nela uma mulher "modesta" e "próxima dos cidadãos", assinala o semanário Der Spiegel.

Em 2006, quando sofria de câncer de mama, K¤ssmann falou publicamente de seu combate à doença. Nesse mesmo ano foi eleita "mulher do ano" pelos leitores da revista de grande tiragem Funk Uhr.

Mulher enérgica, de cabelos cortados curtos, que usa sempre no pesçoco um cordão com uma cruz, foi ao ser nomeada, em 1999, a bispa mais jovem da Alemanha e a primeira a ser motivo de polêmica com seu divórcio.

A imprensa alemã a descreve como "mistura de Madre Teresa e de Demi Moore" que goza de aura particular entre os fiéis.

No final de janeiro, criticou cruamente a intervenção alemã no Afeganistão, o que lhe valeu inúmeras críticas da esfera política.

Doutora em teologia, a bispa renunciante é autora de 30 livros.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,51
    63.760,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host