UOL Notícias Notícias
 

25/02/2010 - 18h48

Chávez chama relatório da OEA de 'inefável' e 'ignominioso'

O presidente venezuelano Hugo Chávez criticou nesta quinta-feira o informe da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) sobre a Venezuela, acusando-a de "inefável" e afirmando que o documento é "ignominioso".

"Vimos o informe da inefável Comissão Interamericana de Direitos Humanos. É uma colcha de retalhos", disse Chávez em uma coletiva de imprensa em Caracas.

"Não vale a pena responder a essa gente. É um lixo. O que devemos fazer é pegar o acordo no qual a Venezuela se inscreveu e sairmos dele", falou.

"Isto é detestável. É a mesma comissão que apoiou Carmona aqui", acrescentou o presidente ao se referir a Pedro Carmona Estanga, líder do golpe de Estado na Venezuela em 2002 que tirou Chávez do poder por dois dias.

O presidente leu fragmentos de um documento enviado pela CIDH ao governo durante o golpe de Estado, em que a Comissão pedia informações sobre a situação de Chávez, que se encontrava preso. Ao chegar no nome do secretário-executivo do organismo enquanto lia o texto, Chávez disse, em tom de zombaria: "Santiago Cantón, excremento executivo".

A CIDH divulgou na quarta-feira um informe de quase 300 páginas onde afirma que o Estado de direito na Venezuela se debilitou pela falta de separação dos poderes, e alertou sobre as "sérias restrições" aos direitos humanos.

No texto, a CIDH observa um "enfraquecimento do Estado de Direito e da democracia na Venezuela" que "tem como consequência sérias restrições ao pleno gozo dos direitos humanos" no país.

"É parte da agressão permanente, a ameaça permanente de isolar a Venezuela", falou o presidente.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host