UOL Notícias Notícias
 

28/02/2010 - 11h44

Refém italiano da Al-Qaeda pede que governo faça concessões

O italiano Sergio Cicala, sequestrado em dezembro de 2009 com sua mulher por militantes da Al-Qeda no MAgreb Islâmico (AQMI), pediu ao governo de seu país que faça concessões para conseguir sua libertação, em uma mensagem divulgada pela internet neste domingo.

O apelo chega um dia antes do ultimato fixado pela AQMI para que as autoridades italianas cumpram as exigências feitas para libertar Cicala, de 65 anos, e Philomene Kabouree, de 39, levados pelos insurgentes no dia 18 de dezembro na Mauritânia.

O grupo exige a libertação de quatro militantes presos neste país africano.

"Minha liberdade e a de minha mulher dependem das concessões que o governo esteja disposto a fazer", afirma o refém, em uma mensagem de áudio descoberta pelo centro de vigilância SITE, que monitora páginas de grupos islâmicos.

Junto com a mensagem aparece uma imagem fixa, na qual se vê um homem, apresentado como Sergio Cicala, de joelhos e cercado por seis encapuzados armados sob uma bandeira negra, onde há uma inscrição religiosa em árabe.

O mesmo grupo mantém em seu poder três espanhóis: Alicia Gámez, Albert Vilalta e Roque Pascual, membros da ONG Barcelona Acción Solidaria, que foram capturados no dia 29 de novembro na Mauritânia e levados para o deserto de Mali.

Na última terça-feira, a AQMI libertou o francês Pierre Camatte em troca da soltura de militantes presos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host