UOL Notícias Notícias
 

01/03/2010 - 17h53

Cobre dispara em Londres após terremoto no Chile

O preço do cobre disparou nesta segunda-feira no London Metal Exchange, diante dos temores sobre os danos à infraestrutura da extração do metal após o terremoto que abalou o Chile, assinalaram os analistas.

"No mercado do cobre, as transações se concentraram esta manhã nos efeitos do forte terremoto que atingiu o Chile no sábado. Além do custo em vidas humanas (mais de 700 mortos), os operadores se preocupam com o impacto sobre as minas de cobre do país", comentou Nicholas Snowdon, analista da Barclays Capital.

Como o Chile é o primeiro produtor mundial de cobre, respondendo por mais de 30% da oferta mundial, os preços do metal subiam mais de 400 dólares por tonelada pela manhã, aos 7.600 dólares, o que representa um aumento excepcional durante o pregão.

Com a alta, o cobre se aproximou dos preços de janeiro, quando atingiu os 7.796 dólares, seu nível mais alto em ano e meio.

"O terremoto danificou severamente a infra-estrutura do Chile, incluindo o fornecimento de energia elétrica. O grupo de mineração Codelco anunciou, inclusive, cortes no fornecimento de energia em duas minas da empresa, El Teniente e Andina, que respondem por 4% da produção mundial do cobre", destacou Eugen Weinberg, analista do Commerzbank.

Ed Meir, analista da MF Global, advertiu que no "conjunto, até 20% da produção de cobre do Chile foi suspensa durante o final de semana.

Apesar dos temores, o impacto do terremoto na infraestrutura de produção do cobre parece limitado, já que várias minas da Codelco retomam progressivamente suas atividades no sul do país, a zona mais afetada pelo terremoto.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    1,02
    3,178
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,90
    67.976,80
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host