UOL Notícias Notícias
 

04/03/2010 - 17h20

Chile pode revisar para baixo número de mortos no terremoto

O Chile fará uma nova recontagem das vítimas do terremoto e da tsunami que o seguiu, no sábado passado, após reconhecer que uma região deu como mortos desaparecidos, o que poderia alterar o balanço provisório de 802 vítimas fatais, anunciou o governo.

Durante uma visita de inspeção à castigada cidade de Talca (centro-sul), a presidente Michelle Bachelet respondeu que "os médicos legistas farão um estudo do que aconteceu, pois desaparecidos teriam sido incluídos como mortos".

A chefe de Estado chilena disse que aparentemente foram dadas como mortas 200 pessoas cujo destino ainda se desconhece e que participavam de uma celebração na ilha Orrego, na foz do rio Maule, onde foram identificados sete sobreviventes.

"Se houver menos mortos, melhor. Havia uns 200 desaparecidos (em Maule) e este é o número que gera discrepância. A informação veio do município, dos bombeiros e dos carabineiros", acrescentou.

"Faremos todas as averiguações", disse a presidente.

"É preciso entender as autoridades e não atribuir-lhes um erro. É preciso compreender a informação passada inicialmente em um contexto de muito medo, com problemas de energia", disse, em entrevista coletiva em Santiago, o vice-secretário do Interior, Patricio Rosende.

Rosende prometeu informar o quanto antes o novo número oficial de mortos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h00

    0,09
    3,268
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h10

    -0,57
    63.723,20
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host