UOL Notícias Notícias
 

09/03/2010 - 06h26

ONG acusa Bangladesh de deixar minoria birmanesa com fome

As autoridades de Bangladesh intensificam as detenções arbitrárias e as expulsões de uma minoria muçulmana que foge de Mianmar, e deixam os integrantes do grupo com fome em campos improvisados, acusa a ONG Médicos pelos Direitos Humanos (Physicians for Human Rights, PHR).

Milhares de refugiados Rohingyas, alguns deles há décadas em Bangladesh, foram deslocados para campos, abandonados e deixados sem alimentação, destaca a PHR.

"É inadmissível deixar morrer de fome esta população vulnerável e sem Estado", denunciou Richard Sollom, diretor da ONG.

"Depois do recente terremoto no Haiti, o índice de desnutrição infantil chegou a 6%; nos campos dos Rohingyas é de 18,2% e eles não recebem nenhuma ajuda", completou.

A ONU considera os Rohingyas uma das minorias étnicas mais perseguidas no mundo.

Em Mianmar, 700.000 membros desta comunidade sofrem discriminações e têm a nacionalidade negada pelo governo, segundo a organização Médicos Sem Fronteiras (MSF).

A cada ano milhares de Rohingyas cruzam a fronteira com Bangladesh, que concedeu o status de refugiado a 28.000 deles.

Mas, segundo estimativas, há entre 200.000 e 300.000 refugiados clandestinos da etnia no país.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h39

    0,50
    3,173
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h40

    0,30
    74.663,37
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host