UOL Notícias Notícias
 

11/03/2010 - 10h44

Opositora Suu Kyi pede aos birmaneses que se oponham a lei 'injusta' (advogado)

A líder da oposição birmanesa e prêmio Nobel da Paz Aung San Suu Kyi, mantida em prisão domiciliar, pediu nesta quinta-feira que os birmaneses se unam para dar uma resposta a uma lei eleitoral "injusta", que a exclui das próximas eleições, declarou à AFP seu advogado Nyan Win.

"Ela não acreditava que uma lei tão repressiva seria promulgada", afirmou Nyan Win, que também é porta-voz da Liga Nacional pela Democracia (LND), depois de visitar a opositora nesta quinta-feira à noite.

A prêmio Nobel da Paz afirmou que "não só ela, como também o povo e as forças políticas devem responder juntos a uma lei tão injusta", explicou.

A junta birmanesa provocou a indignação da comunidade internacional ao promulgar uma lei que proíbe o pertencimento de pessoas detidas a um partido político.

Esta medida obriga a LND a excluir Suu Kyi, que cumpre atualmente uma pena de 18 meses de prisão domiciliar. Se não cumprir esta lei, o maior partido da oposição será dissolvido.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h39

    0,24
    3,148
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h46

    0,56
    65.049,28
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host