UOL Notícias Notícias
 

11/03/2010 - 10h32

Substância que imita hormônio produzido pela tireóide reduz o colesterol

Uma molécula experimental chamada eprotirome, que imita um hormônio produzido pela glândula tireóide, reduz fortemente o nível de colesterol ruim, segundo um teste clínico cujos resultados foram divulgados no New England Journal of Medicine (NELM).

A eprotirome, desenvolvida pelo laboratório farmacêutico sueco Karo Bio, permite sobretudo reduzir o colesterol ruim, as lipoproteínas (LDL), entre as pessoas com as quais o tratamento com estatinas não foi suficiente. A eficiência das estatinas no combate ao colesterol foi provada desde a sua comercialização em 1987.

O estudo clínico liderado por pesquisadores suecos ligados a cientistas da Faculdade de Medicina Johns Hopkins (Baltimore, Maryland, leste dos Estados Unidos) com 168 pacientes na Suécia e na Noruega mostrou que o eprotirome reduziu em até 32% o colesterol maligno daqueles que já tinham sido tratados com estatinas.

O resultado corresponderia a uma duplicação da dose de estatinas, mas sem os efeitos colaterais nocivos, explicam os médicos.

Os cientistas insistem, principalmente, no fato de os resultados não significarem que o eprotirome pode substituir as estatinas para o tratamento do colesterol ruim.

No entanto, resultados muito animadores indicam que o eprotirome poderá ser um complemento promissor em uma terapia com estatinas ou um substituto para pessoas que não têm tolerância aos efeitos colaterais dos remédios contra o colesterol.

O eprotirome poderá também servir como novo tratamento contra a dislipidemia mista que se manifesta com níveis elevados de lípidios no sangue, como os triglicerídios e a lipoproteína A, que também apresenta riscos de gerar doenças cardiovasculares.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h29

    -0,86
    3,130
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h30

    1,17
    64.506,10
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host