UOL Notícias Notícias
 

12/03/2010 - 15h02

Cuba: Fariñas pede a Walesa que ponha flores em sua tumba

O dissidente cubano Guillermo Fariñas, em greve de fome há 15 dias, pediu a Lech Walesa, líder histórico do sindicato polonês Solidaridad, que deposite uma coroa de flores em sua tumba "quando Cuba for livre", informou nesta sexta-feira, à AFP, o ex-presidente polonês.

Walesa e Fariñas falaram por telefone na quinta-feira, horas antes da hospitalização do jornalista cubano na unidade de cuidados itensivos do hospital de Santa Clara (270 km ao leste de Havana).

"Fiquei muito impressionado, eu tentei convencê-lo a interromper a greve. Disse que para construir uma Cuba livre é preciso gente como ele, viva", contou o Prêmio Nobel da Paz, em 1983.

Segundo Walesa, o dissidente manteve a decisão de continuar com a greve de fome.

"Fariñas me respondeu: se morrer, rogo que deposite uma coroa de flores sobre a minha tumba quando Cuba for livre", contou Walesa.

Guillermo Fariñas, um ciberjornalista de 48 anos que reivindica a libertação de 26 presos políticos doentes, iniciou uma greve de fome e de sede pouco depois da morte do preso político Orlando Zapata, de 42 anos, que se seguiu a um jejum de protesto de dois meses e meio.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host