UOL Notícias Notícias
 

12/03/2010 - 17h03

Dissidente cubano em greve de fome pode estar com complicação renal

O jornalista dissidente cubano Guillermo Fariñas, em greve de fome há 16 dias, pode estar sofrendo uma "complicação renal". Ele não urina desde que ingressou, quinta-feira, na unidade de terapia intensiva do hospital de Santa Clara (centro), disse nesta sexta-feira, sua porta-voz, Licet Zamora.

"Fariñas continua em observação, na UTI do hospital provincial 'Arnaldo Milián' e sua situação nos preocupa, embora os médicos não tenham confirmado a complicação renal", disse Zamora à AFP, por telefone, a partir de Santa Clara, 280 km a leste de Havana.

"Estamos esperando os resultados dos exames realizados, acrescentou.

Fariñas, que realizou mais de 20 greves de fome e esteve preso três vezes por sua atividade opositora, sofreu quinta-feira um choque hipoglicêmico -semelhante ao de 3 de março.

No hospital Milían, a informação é a de que está em estado "grave, mas estável".

A mãe do dissidente, Alicia Hernández, disse à AFP sentir-se "mais tranquila", porque seu filho "está internado, acompanhado por médicos 24 horas", mas lamentou que mantenha "sua posição de continuar" com o protesto, para exigir a libertação de 26 presos políticos cubanos.

"Está consciente, mas sente dores articulares, de cabeça, lombares, e apresenta sintomas de desidratação. Disse-me que se sente esgotado", comentou Hernández, que é enfermeira aposentada.

Fariñas começou o jejum no dia 24 de fevereiro, após a morte do preso político Orlando Zapata, de 42 anos, das consequências de uma greve de fome de dois meses e meio.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host