UOL Notícias Notícias
 

16/03/2010 - 12h15

Presidente do Yad Vashem pede a Lula que promova encontro com Ahmadinejad

O rabino Israel Lau, presidente do Memorial da Shoah de Yad Vachem e sobrevivente dos campos de concentração, pediu nesta terça-feira publicamente ao presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva que organize um encontro com o presidente iraniano Mahmud Ahmadinejad.

"Na condição de criança de Buchenwald, quero me reunir com ele para que ouça meu testemunho e para que eu possa provar que está errado em negar a existência da Shoah," acrescentou.

Ele pediu ao presidente brasileiro de transmita ao seu colega iraniano um convite para que se reúnam "não importa onde e não importa quando".

Lula, que realizou uma visita oficial a Israel, a primeira de um chefe de Estado brasileiro ao Estado hebreu, visitou nesta terça-feira o Yad Vashem, dedicado à memória dos seis milhões de judeus assassinados pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

Acompanhado pelo rabino Lau, o presidente brasileiro afirmou durante sua visita "que a humanidade não pode permitir que a Shoah ocorra novamente. Nunca mais, nunca mais, nunca mais".

O rabino Lau, que foi libertado do campo de concentração de Buchenwald em 1945, aos 8 anos, foi grão-rabino de Israel entre 1993 e 2003.

Ele é desde 2008 presidente do Memorial de Yad Vashem, mantendo suas funções de grão-rabino de Tel-Aviv.

O Brasil ocupa atualmente uma vaga de membro não-permanente do Conselho de Segurança da ONU e o governo prega o diálogo com Teerã, enquanto que Israel procura isolar e impor sanções duras contra o Irã para deter seu programa nuclear.

O presidente Ahmadinejad prega a destruição de Israel e defende regularmente teses negacionistas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    09h39

    -0,21
    3,272
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host