UOL Notícias Notícias
 

17/03/2010 - 07h16

Prodi rejeita o mundo empresarial e prefere dar aulas na China

O ex-primeiro-ministro italiano Romano Prodi recusou diversas ofertas para trabalhar como executivo de empresas importantes e preferiu dar aulas na China, como afirmou à AFP.

Depois de deixar o mundo político em 2008, ao fim de dois mandatos à frente do governo italiano, Prodi, 70 anos, recebeu diversas ofertas para dirigir empresas que poderiam ter sido muito lucrativas, como o cargo de presidente da South Stream, um projeto de oleoduto das empressas Gazprom (Rússia) e Eni (Itália).

"Expliquei a (Vladimir) Putin que era melhor que um ex-dirigente político não trabalhasse em um projeto no qual participou durante a carreira política", disse Prodi.

Muitos políticos da mesma época de Prodi entraram no mundo dos negócios após o fim da carreira política, como o ex-premier britânico Tony Blair, que atualmente é conselheiro de uma seguradora suíça, de um banco americano, além de conferencista.

"Quando você se aposenta é melhor escrever, ler, ensinar, e é o que vou fazer", comentou Prodi.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host