UOL Notícias Notícias
 

19/03/2010 - 20h49

Alemanha: arcebispo é acusado de encobrir casos de pedofilia

O chefe do episcopado alemão, o arcebispo Robert Zollitsch, foi acusado nesta sexta-feira por uma vítima de abusos sexuais de ter "encoberto" um ex-sacerdote pedófilo, ao ter esperado que as suspeitas contra ele se confirmassem antes de advertir a procuradoria nos anos 1990.

Em uma reportagem de televisão que deve ser divulgada na segunda-feira, citada pela rede pública SWR esta noite, uma vítima de abusos sexuais, hoje com 38 anos, acusa o arcebispo Zollitsch de ter "dissimulado e encoberto", em sua qualidade de ex-responsável pelo pessoal na diocese de Friburgo, um sacerdote que está envolvido em casos de abusos sexuais de, pelo menos, 17 crianças.

De acordo com informações divulgadas pela rede de televisão, o padre, chamado de Franz B., era suspeito de abusar sexualmente de crianças na diocese de Friburgo. Ele "foi afastado em 1991 com o aval de Robert Zollitsch".

O caso veio à tona apenas em 1995, quando uma vítima resolveu falar.

Entretanto, o porta-voz do arcebispado de Friburgo, Robert Eberle, qualificou essa versão de "sem fundamento", afirmando que os responsáveis da época "atuaram de forma consequente e muito rapidamente".

O sacerdote incriminado aposentou-se antes que as suspeitas que pesavam contra ele se confirmassem, completou o porta-voz.

Ciente de que o cerco estava se fechando, Franz B. se suicidou em 1995.

O arcebispo pediu perdão às 17 vítimas que apareceram após novembro de 1995, afirmou Eberle.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host