UOL Notícias Notícias
 

19/03/2010 - 14h53

Justiça argentina manda prender pai de juíza que proferiu sentença contra governo

O coronel da reserva Luis Alberto Sarmiento, de 85 anos, pai da juíza que emitiu recentemente uma sentença contra o governo argentino, foi detido nesta sexta-feira, sob a acusação de violações dos direitos humanos durante a ditadura (1976-83), informou uma fonte judicial.

O militar "está cumprindo prisão domiciliar (em Buenos Aires), acompanhado por um médico da Gendarmeria (polícia militarizada)", devido à sua idade; a detenção foi ordenada pelo magistrado da província de Misiones (nordeste), onde o militar foi acusado de crimes de lesa humanidade quando era ministro de Governo deste distrito durante a ditadura (1976-83).

O coronel é pai da juíza María Sarmiento que, em dezembro, proferiu uma sentença contra o governo, numa causa sobre o uso de reservas do Banco Central para o pagamento da dívida externa, ao mesmo tempo em que ordenou a devolução ao cargo do titular da entidade, Martín Redrado, demitido por decreto pela presidência, em meio a uma crise institucional.

"Chama-me a atenção de que isso aconteça justamente agora, não há casualidades", disse a magistrada ao canal de televisão TN ao ser ouvida sobre a detenção do pai.

"Se é um assassino, apesar de ser pai de uma juíza, deve ser detido", afirmou o chefe de Gabinete, Aníbal Fernández ao canal C5N.

A prisão do coronel Sarmiento foi pedida pelo juiz federal de Posadas (capital de Misiones), Claudio Ramón Chávez, como parte de um processo sobre suposta privação de liberdade e torturas que teriam sido praticadas em 1976 em Graciela Franzen.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host