UOL Notícias Notícias
 

19/03/2010 - 07h31

Quarteto pede acordo para o Oriente Médio em 24 meses

O Quarteto para o Oriente Médio pediu nesta sexta-feira a israelenses e palestinos que alcancem um acordo de paz em um prazo de 24 meses, afirmou o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, ao fim de uma reunião em Moscou do grupo formado por Estados Unidos, Rússia, ONU e União Europeia (UE).

"O Quarteto acredita que estas conversações deveriam levar a um acordo negociado entre as partes dentro de 24 meses", declarou Ban.

Ele acrescentou que o acordo acabaria com "a ocupação que começou em 1967 e resultaria no surgimento de um Estado palestino independente, democrático e viável, que viva lado a lado e em paz e segurança com Israel e os outros vizinhos".

O Quarteto pediu ainda a Israel o congelamento de todas as atividades de colonização e se declarou "profundamente preocupado" com a situação em Gaza.

"O Quarteto urge ao governo de Israel o congelamento de qualquer atividade de assentamento, incluindo o crescimento natural (das colônias), o fim dos postos avançados edificados desde março de 2001 e a evitar as demolições e desalojamento em Jerusalém Oriental", afirmou o secretário-geral da ONU.

Ban leu um comunicado no qual os membros do grupo "reafirmam que as ações tomadas unilateralmente por cada parte não poderão prejudicar o resultado das negociações e não serão reconhecidas pela comunidade internacional".

A declaração também manifesta preocupação com a situação de Gaza.

"O Quarteto está profundamente preocupado com a contínua deterioração em Gaza, incluindo a situação humanitária e dos direitos humanos da população civil, e insiste na urgência de uma solução duradoura à crise de Gaza".

A Autoridade Palestina comemorou a declaração do Quarteto para o Oriente Médio e expressou a esperança de ver o pedido concretizado na prática.

"Celebramos o comunicado e pedimos ao Quarteto que transforme seus comunicados em mecanismos vinculantes para que Israel cumpra com seus compromissos e, em particular, interrompa todas as atividades de colonização na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental", declarou à AFP o principal negociador palestino, Saeb Erakat.

"Também gostaríamos que o Quarteto criasse um mecanismo de vigilância para ter a certeza de que Israel interrompeu totalmente as atividades de colonização na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental", completou Erakat.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host