UOL Notícias Notícias
 

25/03/2010 - 17h29

Ministros árabes vão conceder US$ 500 milhões a palestinos de Jerusalém

Os chanceleres árabes chegaram a um acordo, nesta quinta-feira, para a concessão de ajuda de 500 milhões de dólares aos palestinos de Jerusalém, durante preparatória da reunião de cúpula prevista para o final de semana na Líbia, anunciou o secretário-geral da Liga Árabe, Amr Mussa.

A decisão será apresentada neste final de semana aos chefes de Estado árabes para que a ratifiquem.

A Autoridade Palestina e a Síria já haviam apresentado um projeto de resolução sobre um "plano para salvar Jerusalém" que estipulava ajuda ao fundo Al Aqsa, criado em 2001 no Cairo.

Os recursos estariam canalizados ao financiamento de trabalhos de infraestrutura e serviços, em Jerusalém, como a construção de hospitais e escolas.

Mussa informou, também, que o Comitê de acompanhamento da Iniciativa Árabe de Paz se reunirá nesta sexta-feira, para debater a posição árabe no caso de fracasso dos esforços americanos destinados a congelar a colonização israelense.

"Não podemos mais aceitar a continuidade da colonização sob nenhuma forma", disse Mussa.

A reunião desta sexta-feira contará com a participação do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, que apresentará um informe sobre as decisões do Quarteto - o grupo criado para mediar o conflito no Oriente Médio; ao mesmo tempo, estudará com o Comitê "os meios para aplicá-las".

Os líderes árabes realizam na Líbia seu encontro anual dispostos a "salvar" Jerusalém, num momento em que Israel enfrenta uma comunidade internacional que exorta o país a congelar a construção de colônias na Cidade Santa.

A reunião de cúpula, a primeira que terá como anfitrião o dirigente líbio Muammar Kadhafi, começará sábado na cidade litorânea de Sirta, tendo como tema central o processo de paz no Oriente Médio.

Às vésperas do encontro, o secretário-geral da Liga Árabe, Amr Mussa, pediu que todas as negociações, diretas ou indiretas, com Israel, fossem suspensas.

"As negociações com Israel neste momento são inúteis", disse.

Seu vice, Ahmed Ben Helli, afirmou na terça-feira que os ministros árabes das relações exteriores aprovariam resolução contendo medidas para "salvar Jerusalém de ser judaizada".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host