UOL Notícias Notícias
 

26/03/2010 - 16h48

Itália: Berlusconi teme abstenção em massa nas eleições de domingo

O multimilionário chefe do governo italiano, Silvio Berlusconi, teme um aumento da abstenção nas eleições regionais de domingo e segunda-feira, que poderão castigar seu partido de centro-direita e reforçar a xenófoba Liga do Norte, um incômodo aliado de seu governo.

Mais de 40 milhões de italianos foram chamados às urnas em 13 das 20 regiões da Itália, o que representará um teste para a popularidade do midiático primeiro-ministro.

Berlusconi medirá seu nível de aceitação no país depois da vitória avassaladora nas eleições legislativas de dois anos atrás, marcadas por uma série de escândalos sexuais, corrupção e ilegalidades burocráticas.

Como em todas as eleições das quais participa, o magnata das comunicações "as transforma em um plebicito a favor ou contra ele", explicou à AFP o cientista político francês Marc Lazar, especialista em Itália.

Com uma popularidade em queda, que passou de quase 60% para 44% em poucos meses, Berlusconi é de toda forma um dos políticos mais amados do velho continente.

Para mobilizar seu eleitorado, ele aparece em todos os canais de televisão, oferece entrevistas a emissoras, participa de manifestações por toda a península, tanto no norte como no sul.

O temor de uma alta abstenção preocupa mais a direita que a ala centro-esquerda, que está parada e sem ideias nem programas claros, apesar de, das 13 regiões em jogo, 11 serem governadas pelo setor de centro-esquerda.

Para que os militantes do partido fundado por Berlusconi, o Povo da Liberdade (PDL), não desertem o pleito, seu líder voltou a atacar seus eternos inimigos: os "juízes vermelhos" e os "comunistas", acusados de atrapalhar seu governo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,53
    75.604,34
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host