UOL Notícias Notícias
 

27/03/2010 - 21h36

Londres deve aprender a 'dizer não' a Washington (deputados)

O Reino Unido deve ser "menos deferente e mais disposto a dizer não" aos Estados Unidos, considera uma comissão de deputados britânicos em um relatório divulgado neste domingo, que recomenda que o governo não utilize mais o termo "especial" para designar as relações entre os dois países.

"O Reino Unido deve ser menos deferente e mais disposto a dizer não aos Estados Unidos quando nossos interesses divergem", recomenda o relatório da comissão parlamentar interpartidária de Relações Exteriores.

"O Reino Unido deve adotar uma abordagem política mais realista no que se refere as nossas relações com os Estados Unidos, estando consciente de nossos próprios limites e de nossos interesses nacionais", acrescentaram os deputados.

Londres e Washington mantêm "relações estreitas e preciosas", mas "o emprego do termo 'relações especiais' em seu sentido histórico, para descrever o conjunto das relações em constante evolução entre Estados Unidos e Reino Unido é potencialmente enganoso e recomendamos evitá-lo", consideraram.

A classificação "especial" foi utilizada pela primeira vez por Winston Churchill pouco depois da Segunda Guerra Mundial, para descrever a luta comum contra o Nazismo e, durante a Guerra Fria, contra a URSS.

O uso da expressão pode ter levado à "percepção largamente difundida em meio à população britânica e estrangeira segundo a qual o governo britânico é um poodle subserviente do governo americano", lamentaram os deputados, citando a invasão do Iraque em 2003.

"Esta percepção, seja qual for a sua relação com a realidade, é profundamente danosa para a reputação e os interesses do Reino Unido", conclui a comissão.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host