UOL Notícias Notícias
 

30/03/2010 - 19h27

Guerrilha colombiana liberta Moncayo após 12 anos de cativeiro

O sargento Pablo Emilio Moncayo, refém das Farc por 12 anos, foi libertado nesta terça-feira na selva e se dirigia à cidade de Florencia, para se reencontrar com sua família, que não o vê desde que era praticamente um adolescente.

A rede de televisão Telesur, com sede em Caracas, mostrou as primeiras imagens de Moncayo ao se unir à missão humanitária que organizou sua libertação, integrada pela senadora Piedad Córdoba e por delegados do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e da Igreja Católica colombiana.

Com um grande sorriso, Moncayo, de 31 anos, abraça Córdoba em um local amplo, sem vegetação, de acordo com as imagens, que o mostram em bom estado.

Anteriormente, a Telesur havia transmitido um vídeo com as imagens de Moncayo antes de ser entregue à missão humanitária. O sargento colombiano apareceu nos vídeos usando uniforme militar.

Pouco depois, o governo colombiano reprovou a divulgação das imagens, alegando que violam os acordos de procedimentos para a libertação, e acusou a Telesur de "fazer propaganda" a favor das Farc.

Em Florencia (580 km ao sul de Bogotá), o sargento é esperado pelo pai, Gustavo Moncayo, pela mãe, María Estela Cabrera, por suas quatro irmãs e por outros familiares.

O pai, que vestia uma camiseta com a foto do filho, levava nas mãos as mesmas correntes que usa há alguns anos para denunciar as condições de cativeiro do filho, e garantiu que nesta terça-feira o próprio filho as retirará, deixando-o em liberdade.

"As correntes serão retiradas por Pablo Emilio", disse a jornalistas, enquanto exibia um grande sorriso e cantava, próximo à pista do aeroporto.

O CICV confirmou há pouco a libertação do sargento, após afirmar anteriormente que a missão teria chegado ao local da libertação, mas que o mau tempo dificultava o regresso a Florencia.

A senadora Córdoba informou, através da rede social Twitter, os detalhes da operação para a libertação de Moncayo, assim como fez na realizada no domingo com o soldado Josué Daniel Calvo.

Entretanto, as mensagens da congressista foram interrompidas durante o tempo de traslado no helicóptero e da permanência no local da libertação.

Córdoba está à frente, desde 2008, da libertação por parte das Farc de 13 de seus reféns, entre políticos, militares e policiais.

As Farc afirmaram que a libertação de Moncayo será a última que realizam de forma unilateral, e pediram que, a partir de agora, seja feito um intercâmbio humanitário entre os 21 militares que são prisioneiros e os cerca de 500 guerrilheiros detidos pelo governo.

Moncayo, sequestrado no dia 21 de dezembro de 1997 e promovido a sargento quando estava em cativeiro, era um dois reféns mais antigos da Colômbia.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,02
    3,136
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,02
    75.974,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host