UOL Notícias Notícias
 

04/04/2010 - 17h49

Juventude Comunista pede que se enfrente a "apatia" dos jovens cubanos e critica a UE

A União de Jovens Comunistas (UJC) pediu, neste domingo, na presença do presidente cubano, Raúl Castro, que se enfrente a "apatia" política e a "desobediência" da juventude cubana, acusando o Parlamento Europeu de "hipocrisias assombrosas" por suas declarações contra Havana.

"Não podemos desconhecer a existência de um segmento de jovens que, embora não representem a maioria da nossa juventude, causam danos, com suas atitudes e condutas, aos nobres propósitos da obra revolucionária", disse a primeira-secretária da UJC, Liudmila Álamo, segundo o telejornal estatal.

Álamo, que apresentou o informe ao IX Congresso da UJC, reunida desde sábado, destacou tais condutas "como a desobediência das leis, a apatia, o consumismo e a desmobilização", contrárias ao socialismo.

Dezenas de milhares de jovens cubanos não estudam, nem trabalham, desestimulados pelos baixos salários, equivalentes a 20 dólares, e alguns preferem se dedicar a atividades ilegais do mercado negro ou a emigrar em busca de perspectivas, afirmou.

"Temos o dever de atender e enfrentar energicamente" estas manifestações, disse a dirigente, de 35 anos.

Os presentes à reunião também repudiaram, em uma declaração "contra a mentira e o ódio", a condenação a Cuba emitida pelo Parlamento Europeu, com relação à morte do preso político Orlando Zapata, de 42 anos, após uma greve de fome de dois meses e meio por reivindicação a melhorias carcerárias.

A Europa "esconde sob o desgaste de sua culta imagem, os sofrimentos e infortúnios de milhões de jovens e crianças com carências e discriminações, para os quais jamais haverá resoluções no Parlamento Europeu", disseram os jovens comunistas cubanos.

Oitocentos delegados assistem ao Congresso representando 600.000 militantes da organização juvenil do Partido Comunista (PCC, único), considerada pelas autoridades a "vanguarda" dos 3,1 milhões de jovens cubanos com idades entre 15 e 35 anos.

O encontro, prévio ao várias vezes adiado VI Congresso do PCC, deve marcar o papel dos jovens nos próximos anos, quando a geração histórica de Fidel e Raúl Castro, que beira os 80 anos, deixar o poder por razões biológicas.

O Congresso terminará neste domingo, com um discurso do presidente Raúl Castro.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host