UOL Notícias Notícias
 

05/04/2010 - 07h08

"A Igreja funcionava assim", afirma arcebispo francês sobre padres pedófilos

Monsenhor Jacques Gaillot, arcebispo de Evreux, admitiu em entrevista a um jornal francês o erro por ter recebido na década de 1980, em sua diocese, um padre condenado por pedofilia, mas explicou: "Na época, a igreja funcionava assim".

"Fazíamos um favor. Nos pediam para receber um padre indesejável e você aceitava. Foi o que fiz, há mais de 20 anos. Foi um erro", disse o monsenhor Gaillot ao jornal Le Parisien/Aujourd'hui en France, no momento em que a Igreja Católica é abalada por onda de escândalos de pedofilia.

Em 1987, a Igreja autorizou o padre canadense Denis Vadeboncoeur a atuar na França, apesar do sacerdote ter sido condenado a 20 meses de prisão em seu país em 1985, por atos de pedofilia.

Gaillot, mesmo sabendo da condenação, nomeou Vadeboncoeur em 1988 padre e vigário episcopal, o que deixava o canadense em contato com muitas crianças na região oeste da França.

Em 2005, Denis Vadeboncoeur foi condenado pela Sala Penal de Eure a 12 anos de prisão por violar um menor, entre 1989 e 1992. Durante o julgamento, o bispo Gaillot manifestou arrependimento.

"Hoje, as coisas mudaram na Igreja. Agora, vamos aos tribunais. Estamos saindo gradualmente desta cultura do segredo", afirmou o monsenhor Gaillot.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host