UOL Notícias Notícias
 

07/04/2010 - 15h02

Igreja africana não escapa dos escândalos de pedofilia

A Igreja católica africana não escapa dos escândalos de pedofilia, declarou o chefe da Conferência Episcopal da África Austral, Buti Tlhagale, segundo uma homilia difundida nesta quarta-feira em Johannesburgo.

"Sei que a Igreja da África sofre dos mesmos males", declarou o arcebispo de Johannesburgo, ao se referir aos "escândalos doloroso da Igreja da Irlanda ou da Alemanha".

"A má conduta dos sacerdotes africanos não foi exposta pela mídia com a mesma visibilidade que no resto do mundo", destacou Tlhagale.

A Igreja católica está sendo atingida nas últimas semanas por uma série de escândalos envolvendo pedofilia que atingiram inclusive o controvertido Papa Bento XVI, acusado de ter encoberto esses abusos quando era arcebispo de Munique e chefe da Congregação para a Doutrina da Fé.

"Muitos dos que consideram os sacerdotes como modelos se sentem traídos, envergonhados e decepcionados", afirmou Tlhagale, ao reconhecer que esses escândalos foram mal administrados pelo clero.

"A imagem da Igreja católica está em ruínas (...) Como líderes da Igreja fomos incapazes de criticar o comportamiento imoral dos membros de nossas respectivas comunidades", acrescentou. "Estamos paralisados".

A Conferência Episcopal África Austral (África do Sul, Botsuana e Suazilândia) estabeleceu, por sua parte, em 1996, um "Protocolo" que define um procedimento em caso de queixas de abuso sexual contra menores cometidos por um membro do clero.

Ele precisou que seu site (www.sacbc.org.za) recebeu 40 queixas deste tipo desde 1996, a maioria casos ocorridos há muitos anos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host