UOL Notícias Notícias
 
08/04/2010 - 13h28 / Atualizada 10/06/2010 - 20h22

Justiça proíbe que "Carlos, o Chacal" veja filme sobre sua vida

A justiça francesa negou nesta quinta-feira ao venezuelano Ilich Ramírez Sánchez, conhecido como "Carlos, o chacal", a possibilidade de ver antes da exibição por um canal de televisão o filme que foi feito sobre sua vida.

Segundo a juíza Dominique Lefebvre Ligneul, seria uma medida de interferência submeter a obra a um terceiro antes de qualquer decisão de publicação, pois feriria a liberdade dos autores e sua liberdade de expressão que é garantida pela Constituição.

"Carlos, o chacal" reclama desde janeiro passado o direito de ver o filme sobre sua vida dirigido por Olivier Assayas para ser exibido no Canal+.

O terrorista Carlos Ilich Ramírez Sánchez, 60 anos, foi capturado em 1994, em Cartum, e condenado a três anos de prisão perpétua pela justiça francesa pelo assassinato, em 1975, de dois policiais e um informante na capital francesa.

Em janeiro do mesmo ano, disparou no aeroporto parisiense de Orly contra um avião da companhia israelense El Al, sem atingi-lo.

Lenda do terrorismo internacional dos anos 70 e 80, Ilich Ramírez, nascido em Caracas, em 1949, era membro da Frente Popular para a Libertação da Palestina (FPLP), esteve vinculado ao espectacular sequestro, em 1975, em Viena, de 11 ministros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,32
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,56
    63.760,62
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host