UOL Notícias Notícias
 

09/04/2010 - 19h40

Cuba não quer normalizar relações com os EUA, afirma Hillary

O presidente cubano, Raúl Castro, e seu irmão, Fidel, não querem normalizar as relações entre a ilha e os Estados Unidos, afirmou esta sexta-feira a chefe da diplomacia americana, Hillary Clinton.

Apesar das tentativas do governo Obama, "eu penso, pessoalmente, que os Castro não querem o fim do embargo e não querem ver a normalização (das relações) com os Estados Unidos", disse a chanceler, respondendo à pergunta de um estudante da Universidade do Kentucky, em Louisville (leste dos EUA).

Segundo Hillary, caso ocorra esta normalização, "eles perderão todas as desculpas por tudo o que não aconteceu em Cuba nos últimos 50 anos".

Contundente, a secretária de Estado americana afirmou que "muitos, no mundo, veem agora aquilo que nós já tínhamos visto há muito tempo: um regime muito intransigente, entrincheirado, que sufocou as possibilidades dos cubanos".

A chegada ao poder do presidente Barack Obama à Casa Branca, em 2009, permitiu uma redução das tensões com Cuba, antes de uma nova onda de críticas cubanas contra "o império" americano.

Fidel Castro, líder da revolução cubana em 1959, cedeu o poder a seu irmão, Raúl Castro, cinco anos mais novo e seu braço direito, em julho de 2006, em virtude de problemas de saúde, mas ele continua oficialmente o primeiro-secretário do Partido Comunista Cubano, o único existente na ilha.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host