UOL Notícias Notícias
 

09/04/2010 - 16h52

Igreja deve dar continuidade à colaboração com a justiça para restabelecer confiança

A Igreja deve "continuar a colaborar" com a justiça, "única forma de restabelecer a confiança", declarou nesta sexta-feira, dia 9, o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi.

Em declaração transmitida pela Rádio do Vaticano, ele afirmou que "além da atenção dada às vítimas, é preciso (...) continuar a colaborar com as autoridades civis, competentes no plano judiciário e penal, levando em consideração as especificidades jurídicas e situações nos diferentes países", disse.

"Somente dessa forma poderemos reconstruir um clima de justiça e de plena confiança na instituição eclesiástica", continuou.

"A transparência e o rigor se impõem", completou, reconhecendo as feridas "ainda abertas" e as "ofensas", ao mesmo tempo em que pediu por "paz e verdade".

A Igreja foi abalada por muitas semanas por uma série de escândalos de pedofilia cometidos por padres ou religiosos. Entretanto, segundo o padre Lombardi, "parece que o número de novas denúncias de abuso, como esta que se passou nos Estados Unidos, está diminuindo".

Além disso, "no âmbito da atenção às vítimas, o papa escreveu que se dispunha a se reencontrar com eles", declarou Lombardi.

Na carta aos fiéis irlandeses, publicada em meados de março depois de os escândalos de pedofilia terem se tornado públicos, o papa já dizia estar "disposto" a reencontrar as vítimas, da mesma forma como esteve junto daqueles que sofreram abusos similares durante suas viagens aos Estados Unidos e à Austrália em 2008.

Desde então, novos escândalos estouraram particularmente nos Estados Unidos, onde o próprio Joseph Ratzinger foi acusado de ter acobertado padres pedófilos quando estava na liderança da Congregação pela Doutrina da Fé antes de ser eleito papa em 2005.

Para Lombardi, "o Papa Bento XVI, um exemplo de rigor e verdade, merece todo o respeito e suporte" recebido por diversos setores da Igreja Católica diante das acusações.

O papa "é um pastor à altura da tarefa de enfrentar com honestidade e rigor esses tempos difíceis, onde críticas e insinuações sem fundamento não faltam", estimou o porta-voz.

Em relação à "prevenção eficaz de possíveis abusos", ele citou "a formação e seleção de candidatos ao sacerdócio".

"Conseguir uma personalidade madura e saudável, inclusive em termos de sexualidade, sempre representou um desafio difícil", sublinhou o padre Lombardi, segundo o qual "a maioria dos casos de abusos ocorreu durante o período da 'revolução sexual' das últimas décadas".

"Trata-se de redescobrir e de reafirmar o significado e a importância da sexualidade, da castidade e das relações afetivas no mundo de hoje, de uma forma concreta e não apenas verbal e abstrata", preconizou.

Enfim, o padre Lombardi afirmou que certas mídias "parecem não ter trabalhado o o assunto de forma suficiente".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,68
    3,173
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,44
    64.861,92
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host