UOL Notícias Notícias
 

09/04/2010 - 09h37

Tensão aumenta na Tailândia com início da repressão contra manifestantes

A tensão auemtnou nesta sexta-feira em Bangcoc quando, pela primeira vez desde que começaram as manifestações da oposição no início de março, o govero começou a reprimir os "camisas vermelhas" com gases lacrimogêneos e jatos de água.

Os "camisas vermelhas", que exigem a demissão do primeiro-ministro Abhisit Vejjajiva apesar do estado de emergência decretado há dois dias, organizaram um comboio de 12.000 pessoas para um centro de difusão da televisão por satélite.

Os manifestantes esperam restabelecer a tranmissão da "Cadeia do Povo" (PTV), seu principal meio de comunicação, que foi suspensa pelo poder na véspera.

O governo contava assim acabar com "a desinformação" e romper o vínculo entre os "camisas vermelhas" que se manifestam no centro de Bangcoco e seu reduto, no norte e nordeste do país.

Segundo uma jornalista da AFP, cerca 4.000 policiais e militares utilizaram jatos de água e granadas de gás lacrimogêneos para dispersá-los. Imagens ao vivo da televisão mostravam os manifestantes no recinto do centro de difusão, cujo edifício estava protegido pelas forças de ordem.

Pouco depois, numa cena surreal, manifestantes e policiais dividiam garrafas de água e se reconfortavam uns aos outros, num clima sem a menor tensão.

Pela manhã, 33.000 soldados e policiais extras foram mobilizados na capital e arredores, somando mais de 80.000 agentes, um número muito superior ao de manifestantes, que eram 60.000 na quinta à noite, segundo a polícia.

Por outra parte, a justiça emitiu ordens de prisão contra 24 dirigentes do movimento.

O governo tailandês decretou estado de emergência em Bangcoc e nas províncias vizinhas depois da invasão de milhares de manifestantes no parlamento, indicou o primeiro-ministro Abhisit Vejjajiva.

Cerca de 5.000 "camisas vermelhas", seguidores do exilado ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, invadiram o parlamento exigindo a realização de eleições antecipadas. Vários altos funcionários do governo foram evacuados de helicóptero, apesar os manifestantes abandonarem o recinto pouco depois.

Desde 14 de março, os "camisas vermelhas" se manifestam para obter eleições antecipadas e a demissão do primeiro-ministro Abhisit Vejjajiva.

No sábado passado, quase 60.000 manifestantes participaram em uma passeata pelas ruas de Bangcoc.

Os "vermelhos", com o apoio dos camponeses do norte da Tailândia, reduto de Thaksin, realizam há 20 dias pequenas concentrações durante a semana e grandes protestos aos sábados e domingos.

Os manifestantes exigem o restabelecimento da ordem constitucional em vigor antes do golpe de Estado militar de 2006 contra Thaksin, que consideram o único político preocupado com os pobres.

Mas o atual governo odeia o ex-premier, que é acusado de especulação e nepotismo, além de ser considerado uma ameaça para a monarquia.

Thaksin Shinawatra vive exilado desde 2008 para evitar uma penas de prisão por fraude financeira. O ex-premier conversa com os seguidores todas as noites por videoconferência.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host