UOL Notícias Notícias
 

11/04/2010 - 15h23

Farc negam aliança com ETA e defendem Chávez

A guerrilha colombiana das Farc criticou neste domingo o juiz da Audiência Nacional espanhola Eloy Velasco, que denunciou uma aliança entre esse grupo e a organização separatista armada basca ETA com "cooperação governamental" venezuelana, segundo uma nota divulgada na internet.

"O extraordinário ataque político e jurídico que o juiz espanhol Velasco lançou contra o governo da Venezuela é a continuação da guerra suja do governo de ultradireita de Bogotá contra a Revolução Bolivariana da Venezuela", afirmou um comunicado das Farc divulgado neste domingo pela Internet.

No informe, divulgado pela agência Anncol, as Farc acusam o presidente colombiano, Alvaro Uribe, de estar por trás do caso devido à "aversão visceral" que sente pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez.

"Atua aqui o desespero de um governo que não conseguiu impor aos demais da região seus critérios de guerra sobre o conflito interno", informou o comunicado rebelde.

Velasco, da principal instância judicial espanhola, pediu no último dia 1 de março a prisão de 12 supostos membros das Farc e do ETA por sua suposta colaboração na tentativa de assassinato na Espanha de autoridades colombianas, entre elas Uribe.

O documento de Velasco também dizia que a colaboração entre ambas as organizações contou com "cooperação governamental" venezuelana.

As autoridades da Venezuela negaram qualquer colaboração com o ETA ou as Farc, e o chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, afirmou que o juiz Velasco está "associado à máfia do ex-presidente (conservador espanhol) José María Aznar", a quem Chávez acusou de apoiar o golpe de Estado de 2002 contra ele.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host