UOL Notícias Notícias
 

12/04/2010 - 11h03

Morte de Kaczynski: nada indica que pilotos sofressem pressões

Nada indica no momento que os pilotos do avião do presidente polonês Lech Kaczynski, que caiu no sábado na Rússia, tivessem sofrido pressões para aterrissar, apesar do mau tempo, declarou nesta segunda-feira o procurador-geral da Polônia, Andrzej Seremet.

O procurador afirmou igualmente que ainda há corpos presos entre os restos do aparelho que caiu perto de Smolensk com 96 pessoas a bordo, entre elas o presidente polonês e sua esposa. "Já foram encontrados 87 corpos", informou ainda.

Respondendo a uma pergunta de um jornalista sobre as eventuais pressões que os pilotos teriam sofrido para pousar, apesar do mau tempo, Seremet afirmou: "No atual estado da investigação, não existem informações nesse sentido".

Acrescentou, no entanto, que os especialistas analisarão os ruídos de fundo da gravação das conversas dos pilotos para determinar se foi feita "alguma sugestão aos pilotos".

A imprensa polonesa aludia à hipótese segundo a qual uma das possíveis causas do acidente teriam sido as pressões exercidas sobre os pilotos para que aterrissassem a todo custo, para que a delegação polonesa chegasse a tempo às cerimônias para recordar a matança de Katyn, perto de Smolensk.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host