UOL Notícias Notícias
 

13/04/2010 - 21h35

Obama quer adesão de Israel contra proliferação nuclear

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta terça-feira esperar a adesão de Israel ao Tratado de Não Proliferação Nuclear (TNP), mas evitou opinar sobre o arsenal atômico que o Estado hebreu não admite abertamente.

"Estamos falando de Israel ou de qualquer outro país. Creio que aderir ao TNP é importante", disse Obama na coletiva ao final da Cúpula sobre Segurança Nuclear, que reuniu líderes de 47 países em Washington.

O primeiro-ministro israelense, Benjamín Netanyahu, cancelou inesperadamente sua participação na Cúpula, convocada por Obama, e enviou o vice-premier e ministro de Inteligência e Energia Atômica, Dan Meridor.

Segundo a imprensa de Israel, Netanyahu decidiu não viajar para evitar a pressão direta de certos países muçulmanos sobre a abertura das instalações israelenses às inspeções internacionais.

A exemplo de outros Estados nucleares, como Índia e Paquistão, Israel não firmou o Tratado de Não Proliferação, a fim de evitar a supervisão da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), órgão da ONU sediado em Viena.

"Em relação a Israel, não vou comentar sobre seu programa (nuclear)", disse Obama aos jornalistas, no momento em que a imprensa associa a ausência de Netanyahu em Washington à crise de confiança entre EUA e seu histórico grande aliado no Oriente Médio.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h49

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    16h51

    -1,97
    61.405,04
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host