UOL Notícias Notícias
 

16/04/2010 - 14h09

Polícia afegã responsável pela morte de um funcionário da ONU em Cabul

Um dos funcionários da ONU mortos no final de outubro em Cabul, em um violento atentado dos talibãs contra as Nações Unidas, teria sido morto por disparos da polícia afegã, informou nesta sexta-feira a revista alemã Stern.

Durante o ataque de 28 de outubro contra um albergue da ONU em Cabul, no qual morreram oito pessoas - sendo cinco funcionários da ONU -, um agente de segurança empregado pela organização internacional, Louis Maxwell, teria morrido por disparos das forças armadas afegãs e não por ação dos talibãs.

A revista cita um porta-voz da ONU em Nova York, Farhan Haq, que confirmou que a investigação em curso trouxe à luz essa "possibilidade inquietante" de que Maxwell foi morto por disparos das forças afegãs, segundo um relatório provisório elaborado por um comissão de investigação composta por membros da ONU e agentes do FBI, que trabalharam em cooperação com as autoridades afegãs.

Segundo a versão oficial das autoridades afegãs encarregadas da segurança, Louis Maxwell, ex-militar americano, morreu por disparos de talibãs ou por cinturões de explosivos de três camiceses que atacaram o hotel Bejtar, no centro da capital afeão, segundo a Stern.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host