UOL Notícias Notícias
 

19/04/2010 - 17h21

Fariñas mantém greve de fome apesar de pedidos da igreja

  • O jornalista e dissidente cubano Guillermo Fariñas

    O jornalista e dissidente cubano Guillermo Fariñas

O jornalista opositor cubano Guillermo Fariñas manterá sua greve de fome, que completa 55 dias nesta segunda-feira (19), apesar dos apelos da Igreja Católica para que desista, confirmou o próprio dissidente à agência de notícias AFP.

"Com muito respeito, aceitamos o que diz o cardeal Jaime Ortega e seus bispos, mas eu me fortaleço e continuo com minha greve de fome", acrescentou.

Em uma entrevista à publicação católica Palabra Nueva, o monsenhor Ortega afirmou que a igreja tem a mesma "disposição conciliadora" que manteve no caso do preso grevista Orlando Zapata: "Pedir [a Fariñas] que abandone a greve de fome", afirmou.

Após a morte de Zapata como consequência de uma greve de 85 dias, os bispos solicitaram às autoridades que tomassem "as medidas adequadas para que situações como estas não se repitam" e, ao mesmo tempo, "sejam criadas as condições de diálogo e entendimento idôneo".

Um dia após a morte de Zapata, no dia 23 de fevereiro, Fariñas iniciou seu protesto na cidade de Santa Clara (280 km a leste de Havana), exigindo a libertação de 26 presos políticos com problemas de saúde.

"Respeitamos a opinião do cardeal e dos bispos cubanos, mas consideramos que eles devem pressionar um pouco mais, exigindo do Governo, em nome do povo católico, do povo cristão que representam", disse Fariñas.

E acrescentou: "estamos aqui nesta greve de fome morrendo a cada dia para que não haja mortos dentro das prisões cubanas".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host