UOL Notícias Notícias
 

19/04/2010 - 13h31

Irã aprova locais para construção de usinas de enriquecimento de urânio

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, aprovou a instalação de novas usinas de enriquecimento de urânio em diversos locais do país, apesar das ameaças de novas sanções por parte da comunidade internacional, preocupada com a política nuclear do Irã.

"O presidente aprovou os lugares escolhidos para abrigar as novas instalações nucleares", declarou Mojtaba Samaré Hashemi, conselheiro especial do presidente, segundo a agência de notícias oficial Ilna. Ele se referia às novas usinas de enriquecimento de urânio que o Irã anunciou desejar construir.

"A construção dessas instalações começará quando o presidente der a ordem", afirmou, sem dar detalhes sobre o número e a localização dessas instalações.

Em 22 de fevereiro, o chefe da Organização Iraniana de Energia Atômica, Ali Akbar Salehi, anunciou que seu país iniciará este ano a construção de duas novas instalações de enriquecimento de urânio.

O Irã dispõe atualmente de apenas uma usina de enriquecimento de urânio em Natanz, com capacidade para até 50.000 centrífugas, mas que no momento só abriga 8.000.

Em 30 de novembro, o presidente iraniano anunciou a construção de dez novas usinas de enriquecimento de urânio, em resposta a uma resolução da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) que condenava o Irã por sua política nuclear.

Teerã foi condenado por ter dissimulado a construção de um segundo local de enriquecimento em Fordo, uma região montanhosa localizada a centenas de kilômetros ao sul de Teerã.

"A concepção de (novos) locais está em andamento", completou Hashemi.

Israel, que assim como alguns países ocidentais teme que o Irã tente obter a bomba atômica, - o que é desmentido por Teerã - nunca descartou a possibilidade de lançar um ataque militar contra as usinas nucleares do país.

O Irã já fabricou em Natanz mais de 2 toneladas de urânio enriquecido a 3,5%, segundo a AIEA.

Teerã também começou em 9 de janeiro a enriquecer urânio a 20% nesse local, dos quais já produziu 5 quilos, segundo Salehi.

Estados Unidos, Rússia, China e outros países europeus (França, Grã Bretanha e Alemanha), membros do Grupo dos Seis, iniciaram negociações para decidir eventuais novas sanções contra o Irã.

O chefe da diplomacia iraniana, Manouchehr Mottaki, anunciou no domingo que o Irã conversará nos próximos dias com membros do Conselho de Segurança da ONU para tentar convencê-los a renunciar a essas sanções.

O Irã rejeitou em outubro uma proposta da AIEA de entregar 70% de seu urânio levemente enriquecido à Rússia, que o tinha enriquecido a 20%, antes de ser transformado na França em combustível para reator de pesquisa médica, citado por Teerã para justificar a produção de urânio altamente enriquecido.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    09h39

    0,20
    3,164
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host