UOL Notícias Notícias
 

19/04/2010 - 19h41

Voos serão retomados progressivamente no céu europeu

Os principais voos devem ser retomados progressivamente na Europa a partir desta terça-feira, para grande alívio de milhões de passageiros bloqueados por causa de uma nuvem de cinzas vulcânicas vindas da Islândia, que provocou um caos sem precedentes e perdas históricas para as companhias aéreas.

Os ministros dos Transportes europeus se puseram de acordo na noite desta segunda-feira, hora local, para suavizar as restrições ao voo impostas desde a tarde de quinta-feira, numa grande parte da Europa.

O tráfego aéreo será retomado "progressivamente" a partir desta terça-feira às 06H00 GMT, 03H00 de Brasília, anunciou a presidência espanhola da União Europeia.

A UE decidiu estabelecer três zonas geográficas: uma perto do centro de emissões de cinzas do vulcão islandês, na qual as restrições ao tráfego serão "absolutas"; uma segunda na qual serão suavizadas, e uma terceira "na qual não haverá restrição de nenhum tipo", explicou o ministro espanhol dos Transportes, José Blanco.

Assim, o espaço aéreo britânico vai ser progressivamente reaberto a partir da madrugada desta terça. A França colocará em prática "corredores aéreos" entre Paris e os aeroportos do sul, liberando progressivamente os que ainda estão fechados.

O retorno completo à normalidade do trânsito aéreo é esperado para até quinta-feira, segundo a Organização europeia para a segurança da navegação aérea, Eurocontrol.

Em relação à situação registrada nesta segunda-feira, quando apenas 30% dos voos habituais na União Europeia puderam ser efetuados, "espera-se que 10 a 15% a mais se somem na terça e outros 10 a 15% no dia seguinte", declarou seu diretor, Bo Redeborn.

"Se o vulcão cessar de expelir suas cinzas em direção à Europa, estaremos provavelmente de volta à normalidade até quinta-feira", acrescentou.

Na noite desta segunda-feira, no entanto, as autoridades aeronáuticas britânicas anunciaram uma intensificação da erupção do vulcão e a aproximação de uma nova coluna de cinzas da Grã-Bretanha.

A Romênia reabriu completamente seu espaço aéreo.

A Suíça o fará "a partir de 8H00 (3H00 de Brasília), desta terça.

Na Holanda, três aviões decolaram na noite de segunda-feira do aeroporto de Amsterdã-Schiphol para Xangai, Dubai e Nova York. A Estônia anunciou a reabertura, por seis horas, nesta terça, a partir de 00H00 GMT, 22H00 de segunda, em Brasília, de seu espaço aéreo, e a Letônia liberou os voos em seu território.

A Air France anunciou a retomada dos voos de longo curso a partir de terça-feira, nos aeroportos parisienses de Roissy e Orly.

Esta retomada representa um alívio para milhões de passageiros que estão em terra há vários dias, sem conseguir chegar a seus destinos.

Em Dubai, Tóquio ou Nova Délhi, as mesmas cenas se repetem ao infinito. "Não tenho mais dinheiro e vou passar meu aniversário de 50 anos nesta cadeira", confiou Barbara Cekam, uma alemã em trânsito há 3 dias no aeroporto da capital indiana.

Em plena campanha eleitoral, o governo do trabalhista Gordon Brown mobilizou-se particularmente para repatriar os 150.000 cidadãos britânicos em trânsito, apelando até a navios de guerra da Royal Navy.

A Lufthansa anunciou que vai transportar de volta 15.000 passageiros para a Alemanha.

Numerosas companhias ferroviárias reforçaram suas linhas com mais composições; ônibus, carros de aluguel e navios estão sendo muito disputados. Os motoristas de táxis multiplicam os percursos mais longos.

Mais de 6,8 milhões de passageiros aguardam em 313 aeroportos, segundo a Airports Council International (ACI), a mais importante organização profissional de aeroportos. Milhares de pessoas dormem em bancos nas salas de espera.

Os únicos contentes com este acontecimento sem precedente parecem ser as pessoas que moram próximas aos aeroportos, que experimentaram um raro prazer nestes dias de primavera excepcionalmente calmos, poupados do habitual barulho dos motores dos aviões.

A Associação Internacional do Transporte Aéreo (IATA) criticou a administração da crise pelos governos da UE, evocando "uma desordem europeia" que custa cerca de 150 milhões de euros por dia ao setor.

"A amplidão desta crise é mais importante que o 11 de setembro", informou o diretor desta associação, Giovanni Bisignani.

Para o conjunto da economia alemã, o prejuízo é de cerca de um bilhão de euros por dia, segundo o economista-chefe da Câmara de Comércio e Indústria alemã (DIHK), Volker Treier.

O vulcão em erupção na Islândia liberou lava pela primeira vez nesta segunda-feira, informou à AFP o piloto de helicóptero Reynir Petursson, que sobrevoou a cratera.

No caso de a mudança ser confirmada, a nuvem de cinzas vulcânicas que está paralisando o tráfego aéreo na Europa pode começar a se dispersar.

Petursson disse que a grande nuvem vista nesta segunda-feira sobre o vulcão era agora composta em sua maior parte por vapor. "O que vemos agora é principalmente vapor, e não cinzas", frisou.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h29

    -0,18
    3,130
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h40

    -0,90
    75.305,93
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host