UOL Notícias Notícias
 

21/04/2010 - 20h29

Ministros do G20 defendem a criação de empregos durante a recuperação

A primeira reunião de ministros do Trabalho e do Emprego do grupo de países ricos e emergentes do G20, concluída nesta quarta-feira em Washington, apresentou uma lista de boas intenções relacionada à criação de empregos.

"Examinamos as maneiras de ajudar os dirigentes do G20 a colocar o emprego no centro da coordenação de políticas econômicas", declarou durante entrevista à imprensa a secretária do Trabalho americana, Hilda Solis.

"Ao mesmo tempo, elaboramos uma lista de recomendações que contribuirão a atingir este objetivo ambicioso, mas necessário", acrescentou ela.

"Os líderes do G20 devem priorizar a criação de emprego e o alívio da pobreza enquanto constroem a bases de um crescimento forte, sustentado e equilibrado, benéfico para todos", diz o documento.

O Grupo dos 20, composto de países desenvolvidos e emergentes, voltará a reunir seus líderes no final de junho em Toronto (Canadá).

"Vimos chegando a um consenso em todas as discussões que mantivemos", afirmou Solis.

Entre as recomendações dos ministros aos presidentes do G20 estão a necessidade de implementar novos mecanismos para criar empregos; melhorar os sistemas de seguridade social e a qualidade do trabalho, além da capacitação dos empregados para um período de pós-crise e sua integração no mercado, "colocando o emprego e o combate à pobreza no centro das estratégias econômicas nacionais e mundiais".

O G20 reúne os países do G7 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Itália e Japão) e outras economias entre as maiores do mundo (África do Sul, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, China, Coreia do Sul, India, Indonésia, México, Rússia e Turquia) assim como União Europeia.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h19

    0,40
    3,292
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h29

    -0,55
    62.912,35
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host