UOL Notícias Notícias
 

21/04/2010 - 16h54

Parte da pobreza da América Latina será reduzida em 2010, diz Banco Mundial

A crise econômica fez com que entre 9 e 10 milhões de latino-americanos caíssem na pobreza no ano passado, mas boa parte desse número será reduzido em 2010, declarou nesta quarta-feira o economista-chefe para a América Latina do Banco Mundial (Bird), Augusto de la Torre.

"Imagino que até o final de 2010 uma boa parte dessas pessoas já tenham saído da pobreza", declarou o economista em uma coletiva de imprensa, ao comentar as perspectivas para a região antes da reunião semestral do Bird e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

A América Latina e o Caribe crescerão em torno de 4% em 2010, calculou o Banco Mundial em um informe sobre previsões, na mesma linha do FMI.

Entre 2002 e 2008, 60 milhões de latino-americanos saíram da pobreza graças às boas taxas de crescimento e de uma administração macroeconômica exemplar, lembrou o economista.

Paralelamente, muitos países da região criaram melhores sistemas de proteção social, "em particular os esquemas de transferências (de dinheiro) condicionados", como o programa Oportunidades no México, acrescentou De la Torre.

"Os latino-americanos devem estar satisfeitos de que o desempenho tenha sido muito melhor que o esperado" durante a recessão mundial, que teve seu grande impacto em 2009, disse.

Cerca de 3,5 milhões de latino-americanos perderam seus empregos no ano passado, mas esse número é consideravelmente inferior ao de crises anteriores, como a de 1998.

A América Latina apresenta um bom resultado, se comparada com outras regiões, como a asiática.

A informalidade não subiu, nem a inflação foi disparada por reações contraproducentes, acrescentou.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,53
    75.604,34
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host