UOL Notícias Notícias
 

29/04/2010 - 20h27

GB: conservador Cameron vence terceiro e último debate

O líder conservador David Cameron foi o vencedor do terceiro e definitivo debate eleitoral, dominado pela economia e pela imigração e realizado há apenas uma semana das eleições gerais britânicas, que se mostram muito concorridas.

Cameron, que lidera as pesquisas de intenção de voto, mas sem a maioria necessária para governar sozinho, se impôs pela primeira vez nas duas pesquisas imediatas divulgadas no fim do debate, à frente do líder liberal democrata, Nick Clegg, e do primeiro-ministro trabalhista, Gordon Brown.

De acordo com a primeira pesquisa, 41% dos 1.151 telespectadores interrogados pelo instituto YouGov para o jornal The Sun deram claramente a vitória ao líder da oposição conservadora, contra 32% que apoiaram Clegg e 25% que apontaram Brown.

Já a segunda, realizada pela ComRes para a rede de televisão IVW, também declarou Cameron vencedor, com 35% dos votos, à frente de Clegg (33%) e de Brown (26%).

O resultado também é bom para o jovem líder liberal democrata, que após sua inesperada vitória há duas semanas no primeiro dos três debates, se mantém na corrida a apenas uma semana das eleições.

Entretanto, é uma nova derrota para o primeiro-ministro, que via essa discussão centrada na economia, seu tema preferido, como a última carta na manga, sobretudo após a gafe cometida na última quarta-feira, quando um comentário depreciativo sobre uma eleitora aposentada foi captado por um microfone e atraiu todas as atenções.

Durante o debate, Cameron repetidamente rebateu as críticas de Brown sobre as políticas de seu partido no que diz respeito a economia e imigração, chamando-as de "cansadas" e "desesperadas", e afirmou que os Conservadores oferecem um novo começo após 13 anos de governos trabalhistas.

O primeiro-ministro precisava de uma brilhante aparição, após a gafe de quarta-feira, e não mediu esforços para diminuir a polêmica no início do debate em Birmingham.

"Há muitas coisas a fazer nesse trabalho e como vocês viram ontem, eu não faço tudo certo", afirmou. "Mas eu sei lidar com a economia, em tempos bons e ruins. Quando os bancos sofreram um colapso eu agi imediatamente... para evitar que a recessão virasse uma depressão". "Como resultado disso, o país está novamente no caminho da recuperação".

Brown afirmou que os planos Conservadores de cortar os gastos para reduzir o déficit público são um risco para a economia do país.

Quando o tema do debate se tornou a imigração - um problema muito evitado na campanha, até Brown trazê-lo à tona com sua gafe - Cameron e Clegg evitaram mencionar o incidente com Brown.

Em vez disso, o debate se focou na política Liberal Democrata de dar a cidadania para estrangeiros que vivem na Grã-Bretanha por mais de dez anos, cujos partidos Trabalhista e Conservador rotularam de "anistia" para imigrantes ilegais.

Brown afirmou que o plano de Clegg estava errado, enquanto Clegg acusou a proposta de um teto anual de imigração de desonesta, já que não incluía trabalhadores da União Europeia.

No final do debate, Brown destacou o perigo de uma coalizão formada por Cameron e Clegg, caso a eleição produza "a hung parliament" (um parlamento equilibrado) e tentou retratá-los como inexperientes.

"Eu não gosto de ter que fazer isso, mas eu tenho que falar para vocês que as coisas são muito importantes para ocorrerem políticas de risco com essas duas pessoas", afirmou.

Já Cameron, em seu discurso de encerramento, afirmou: "Se você vota no trabalho, você quer mais do mesmo. Se você vota nos Liberais Democratas, é incerto".

Ele completou prometendo que se o eleitor votar nos Conservadores na próxima quinta-feira, "você pode ter um novo governo fazendo uma mudança limpa, levando nosso país em uma nova direção e trazendo as mudanças que precisamos".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h19

    0,27
    3,274
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h21

    -0,71
    63.630,06
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host