UOL Notícias Notícias
 

04/05/2010 - 20h44

Protesto contra Morales deixa um ferido e 17 detidos em La Paz

Choques entre policiais e trabalhadores bolivianos que exigiam melhores salários e protestavam contra o presidente Evo Morales deixaram um ferido e 17 detidos nesta terça-feira em La Paz.

"Há uma pessoa ferida e temos 17 detidos", revelou o procurador de La Paz, Williams Dávila.

O protesto foi convocado pela Central Operária Boliviana (COB), o sindicato mais forte do país e até então leal ao presidente Morales.

A violência começou quando os trabalhadores atacaram "com bombas caseiras" o prédio do ministério de Trabalho, no coração econômico e administrativo de La Paz.

Uma pessoa que estava no ministério do Trabalho ficou ferida após uma explosão destruir parte da porta de entrada do prédio.

"Foi vandalismo, jogaram dinamite", disse a ministra do Trabalho, Carmen Trujillo.

A polícia de choque atirou bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes, que exigem um reajuste salarial superior aos 5% oferecidos por Morales.

O incidente ocorre em meio à greve de 24 horas observada em quase todas as cidades da Bolívia, principalmente por professores, funcionários da saúde e operários de fábricas estatais.

O centro de La Paz foi paralisado por várias passeatas, enquanto os sindicatos bloquearam a autopista que liga a capital à cidade de El Alto, onde também ocorreram incidentes.

Os protestos contra Morales e por aumentos salariais também mobilizaram multidões em Santa Cruz, Cochabamba, Oruro, Sucre e Trinidad.

Contra a proposta do governo de reajuste de 5% do salário mínimo, os sindicatos pedem entre 12% e 25%.

Com o aumento de 5%, o salário mínimo nacional passará de 647 bolivianos (91 dólares) para 679 (96 dólares).

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,53
    75.604,34
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host