UOL Notícias Notícias
 

06/05/2010 - 13h56

França rejeita retomar negociacões entre a UE e o Mercosul

A França rejeitou retomar as negociações entre a União Europeia (UE) e o Mercosul, suspensas desde 2004, porque colocam no banco dos réus a agricultura francesa e europeia, segundo um comuncado do ministério francês da Agricultura e da Comissão de Assuntos Europeus da Assembleia Nacional (deputados).

"A Comissão de Assuntos Europeus da Assembleia Nacional expressou uma opinião desfavorável sobre o descongelamento das negociações entre a União Europeia e os países do Mercosul para a conclusão de um acordo de livre comércio", indicou um comunicado dessa comissão nesta quinta-feira.

Ao anunciar a posição da França ante a retomada das negociações entre os dois blocos, o ministério francês da Agricultura indicou que "a União Europeia não pode levar adiante negociações que correm o risco de colocar no banco dos réus a agricultura francesa e europeia".

A pasta dirigida por Bruno Le Maire recorda as "concessões agrícolas" que a UE ofereceu em julho de 2008 para "alcançar um acordo multilateral global, equilibrado e recíproco" dentro da Rodada de Ronda de Doha sobre a liberação do comércio mundial. Essas "concessões iam beneficiar em especial os países do Mercosulr", assegurou.

"Tal como a Comissão disse na ocasião, ir mais além ameaçaria os próprios fundamentos da Política Agrícola Comum" (PAC), acrescentou no mesmo comunicado.

Na terça, Comissão Europeia anunciou o relançamento das negociações para um Acordo de Associação com os países do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai), suspensas desde 2004.

"Bruxelas está convencida de que um eventual acordo trará benefícios econômicos claros tanto para a União Europeia (UE) como para o Mercosul" e, por isso, decidiu retomar as negociações, informou em um comunicado.

As conversas haviam sido interrompidas em 2004, porque subordinadas à Rodada de Doha para a liberalização do comércio mundial, também paralisadas na Organização Mundial do Comércio (OMC).

No entanto, os contatos entre a UE e o Mercosul se intensificaram nos últimos meses reforçando a eventual retomada das negociações, coincidindo com a presidência espanhola do bloco neste semestre, que há havia manifestado interesse em destravar o processo.

O anúncio de Bruxelas ocorre duas semanas antes de uma cúpula em Madri entre os europeus e a América Latina, durante a qual ocorrerá uma reunião paralela, no dia 17 de maio entre a UE e o Mercosul.

Fontes da comunidade europeia explicaram à AFP que o relançamento das negociações poderá oficializar-se durante esse encontro, com a possibilidade de uma primeira reunião "antes do verão" do Hemisfério Norte.

No entanto, as negociações se mostram longas e árduas, especialmente em aspectos chave como a agricultura. Os subsídios que os agricultores europeus recebem da Política Agrícola Comum (PAC) são criticados pelos países do Mercosul, que afirmam que essas ajudas penalizam seus produtos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,40
    3,181
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    2,01
    70.011,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host