UOL Notícias Notícias
 
14/05/2010 - 14h11 / Atualizada 14/05/2010 - 16h30

Centro Wiesenthal exige limites para sites que promovem ódio racial

Buenos Aires, Argentina, 14 Mai 2010 (AFP) -O Centro Simon Wiesenthal exigiu que sejam colocados limites aos sites que promovem o ódio e o racismo, em particular nas redes de relacionamento social, informou nesta sexta-feira à AFP Sergio Widder, diretor para a América Latina da entidade.

"Ficamos preocupados com o fato de haver um conteúdo de ódio na web, seja antissemita, homofóbico ou racissta. Não se trata de focar apenas no antissemitismo, o que é inútil e seria um erro", explicou.

O debate sobre grupos que fomentam o ódio pela internet ficou mais atual depois que o Facebook eliminou recementemente uma comunidade chamada "Eu também odeio os judeus", que promovia atos de violência contra o judaísmo e que possuía mais de 67 mil membros.

Widder também alertou para a existência de jogos na internet de concepção perversa, como o que faz com que o jogador seja um terrorista suicida que ganha a partida se tirar mais vidas humanas ou outro em que o objetivo é eliminar mexicanos que passam pela fronteira com os Estados Unidos.

O Centro Simon Wiesenthal, fundado pelo célebre caçador de nazistas, identificou em 2009, através da monitoração, cerca de 10.000 páginas da internet que professam ódio ou fazem apologia do terrorismo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host