UOL Notícias Notícias
 
17/05/2010 - 14h43 / Atualizada 17/05/2010 - 15h30

Crise do programa nuclear iraniano desde 2005

Teerã, 17 Mai 2010 (AFP) -Estas são as principais datas da crise do programa nuclear iraniano desde agosto de 2005:

2005

- 8 de agosto: Poucos dias após a tomada de posse do presidente ultraconservador Mahmud Ahmadinejad, o Irã retoma suas atividades nucleares em sua fábrica de conversão de urânio de Ispahan (centro), suspensas desde 2004 após um acordo com a UE-3 (França, Alemanha e Grã-Bretanha).

2006

- 10 de janeiro: Irã rompe os lacres de várias instalações de pesquisa nuclear.

- 5 de fevereiro: Irã suspende a aplicação do protocolo adicional do Tratado de Não Proliferação.

- 11 de abril: Irã anuncia que realizou seu primeiro enriquecimento de urânio (3,5%), e depois 4,8% em maio.

- 31 de julho: O Conselho de Segurança da ONU vota a resolução 1696 que exige que o Irã pare com suas atividades de enriquecimento até o dia 31 de agosto sob pena de sanções.

- 23 de dezembro: Sanções econômicas da ONU (reforçadas em março de 2007 e em março de 2008).

2007

- 9 de abril: Irã anuncia que passou ao enriquecimento industrial.

2008

- 26 de julho: Ahmadinejad declara que o Irã possui de 5 a 6 mil centrífugas.

2009

- 9 de abril: Irã inaugura em Ispahan a primeira usina de fabricação de combustível nuclear e anuncia que já instalou 7 mil centrífugas em Natanz (centro).

- 5 de junho: Irã acumulou 1.339 kg de urânio fracamente enriquecido UF6, estima a AIEA (cerca de 2.065 kg atualmente).

- 25-28 de setembro: A revelação de uma instalação secreta de enriquecimento em Fordoo, próximo a Qon (centro), provoca um escândalo.

- 21 de outubro: A AIEA propõe a Teerã que entregue uma grande parte de seu urânio fracamente enriquecido (3,5%) para a Rússia, responsável por enriquecê-lo a 19,75% antes de ser transformado na França em combustível para o reator de Teerã. Esta oferta é negada no dia 18 de novembro.

- 27 de novembro: A AIEA condena o Irã por seu programa nuclear.

- 29 de novembro: Teerã anuncia que quer construir dez novas fábricas de enriquecimento e produzir urânio enriquecido a 20%.

- 12 de dezembro: O Irã propõe uma troca simultânea de combustível enriquecido a 3,5% e 20% por lotes de 400 kg. As grandes potências a rejeitam.

2010

- 9 de fevereiro: Irã começa a enriquecer urânio a 20% em Natanz.

- 18 de fevereiro: A AIEA está preocupada com as informações segundo as quais o Irã poderia estar fabricando uma bomba atômica.

- 1 de março: Rússia está de acordo com novas sanções, mas "específicas".

- 17 de março: Irã está disposto a trocar em apenas uma ocasião, em seu território, 1.200 kg de seu urânio enriquecido a 3,5% contra 120 kg de combustível a 20%.

- 31 de março: China aceita negociar na ONU eventuais sanções.

- 6 de maio: Irã convida os 15 membros do Conselho de Segurança da ONU para um jantar em Nova York.

- 11 de maio: A Alta Representante da UE para Relações Exteriores, Catherine Ashton, afirma que está disposta a discutir diretamente com o Irã, que aceita.

- 17 de maio: Irã, Turquia e Brasil adotam uma proposta de troca em território turco de combustível nuclear iraniano tendo como contrapartida urânio enriquecido a 20%. Entretanto, as autoridades iranianas afirmam que continuarão enriquecendo urânio a 20%.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host