UOL Notícias Notícias
 
17/05/2010 - 19h31 / Atualizada 17/05/2010 - 19h48

Maré negra prestes a entrar na Corrente do Golfo

MIAMI, EUA, 17 Mai 2010 (AFP) -O gigantesco derramamento de petróleo no Golfo do México estaria a ponto de alcançar a Corrente do Golfo, que levaria o petróleo e sua contaminação aos keys da Flórida e à sua barreira de corais, disse nesta segunda-feira uma especialista com base em imagens por satélites.

Em um dos redemoinhos que se movem na frente da Corrente do Golfo "aparece entrando petróleo" nesse sistema do Atlântico, disse Villy Kourafalou, especialista em circulação oceânica da Escola Rosentiel de Ciências Marinhas e Atmosféricas da Universidade de Miami (UM).

A pesquisadora disse que, "segundo imagens de satélites do centro de observação remota (CSTARS) da Universidade de Miami" é altamente possível que o petróleo entre na Corrente do Golfo e em poucos dias chegue ao sul da península da Flórida.

Há dois redemoinhos perto da Corrente do Golfo, um ao norte e outro ao leste, explicou Kourafalou. Se o movimento do redemoinho norte se mantiver como está agora, "certamente vai entrar petróleo na Corrente que vai movê-lo para o sul", advertiu a especialista.

"Há muitos fatores em jogo, especialmente a evolução dos redemoinhos ao redor da Corrente. Esses redemoinhos são elementos de recirculação que podem ter um papel importante no transporte de 'materiais', contaminantes ou não, como ovas de peixes ou nutrientes", acrescentou Kourafalou.

Imagens de satélite tiradas no sábado e processadas por um laboratório da NASA mostram que a maré negra estaria entrando na famosa corrente, publicou nesta segunda-feira The Miami Herald.

Especialistas oceanógrafos afirmam que uma vez que o petróleo entre na Corrente do Golfo pode demorar cerca de uma semana para chegar aos keys e ao sul da Flórida, com um impacto devastador para o turismo.

"É uma corrente rápida, com uma velocidade que pode chegar aos 7 km/h, que é muito rápido no oceano", disse Steven Morey, um pesquisador do Centro de Estudos de Previsão Oceânica e Atmosférica (COAPS) da Universidade do Estado da Flórida (FSU).

"Poderia levar petróleo bastante rápido, em dias, aos keys", comentou Morey.

A extensa linha de ilhas ou keys, que descem em frente à costa atlântica da península e culminam no mítico Key West, em águas do Golfo do México, representam um dos principais atrativos turísticos e naturais dos Estados Unidos.

O derramamento de petróleo e os dissolventes utilizados para evitar que chegue na costa poderiam ter efeitos tóxicos sobre a barreira de corais do sul da Flórida, que se estende além do Key West, a maior do país e a terceira maior do mundo.

Após passar pelo extremo da península, a Corrente do Golfo gira até o norte passando em frente à costa atlântica da Flórida, o que desperta grandes temores de que águas contaminadas possam chegar até Miami e em outras praias do leste dos EUA.

A Flórida é considerada um dos maiores destinos turísticos do mundo com um total de 80 milhões de visitantes em 2009, que deixaram lucros anuais ao estado de mais de 60 bilhões de dólares.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h10

    0,24
    3,274
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h12

    1,76
    63.767,55
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host